OLHARES PARA 2030

Voltar

Daniel Klüppel Carrara

Daniel Klüppel Carrara

A Educação Profissional e a Assistência Técnica e Gerencial: Rentabilidade e Sustentabilidade nas Propriedades Rurais Brasileiras

Alinhamento com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)

ODS 4 - Educação de qualidade ODS 8 - Trabalho decente e crescimento econômico ODS 12 - Consumo e produção responsáveis

A agropecuária brasileira vem construindo uma história de sucesso nas últimas décadas. Atualmente é o setor mais forte da economia brasileira, e segue apresentando resultados positivos no PIB, emprego e exportações. Até o ano de 1970, seu crescimento era baseado na expansão das áreas de cultivo relacionadas a baixos índices de produtividade. Porém, o investimento do Brasil em ciência e tecnologia − aliado a uma combinação favorável de fatores −  recursos naturais abundantes, produtores competentes e empreendedores, uso de tecnologias modernas e cadeias produtivas integradas transformaram-na em uma agricultura dinâmica e competitiva que fez do País um dos maiores produtores mundiais de alimentos. E não há dúvida de que o crescimento da população, da renda e a urbanização em países com grande deficiência de recursos naturais vão continuar abrindo oportunidades para os principais produtos brasileiros. Para isso, conhecer o universo do mundo do trabalho rural, composto por fatores como as pessoas que nele atuam, a tecnologia disponível, os investimentos nos processos produtivos, as condições ambientais e sociais e as oportunidades de negócios, de forma regionalizada, determina o sucesso e a aplicabilidade das ações de educação profissional rural e a assistência técnica e gerencial oferecidas, otimiza os recursos financeiros e humanos e provoca o sucesso  almejado de preservação  ambiental e de transformação socio econômica pretendidos  nas  realidades  locais. 

Os avanços até agora alcançados, embora reconhecidamente relevantes, somente garantirão competitividade com sustentabilidade à agricultura brasileira no futuro se ela continuar se desenvolvendo, de forma sustentável, preocupada com as questões tecnológicas, econômicas, sociais e ambientais. 

Com as alterações climáticas se intensificando, as condições de plantio se tornarão cada vez menos previsíveis, exigindo rapidez e precisão na sua condução, além de novas alternativas de mecanização e da presença de mão de obra qualificada no meio rural, para que o Brasil consiga assumir o protagonismo no comércio agrícola mundial e na produção de alimentos.

Neste cenário, perdem espaço a mão de obra meramente operacional e automática e os profissionais de bagagem somente técnica e ganham terreno funções de caráter estratégico, com visão sustentável e gerencial, e em cada uma das escalas de produção, a começar pela de subsistência. Os requisitos de profissionalização da cadeia produtiva – desde o laboratório de pesquisa até o ponto de venda no supermercado, além de um sem-número de outras atividades ao longo de todas as etapas – demandarão novas habilidades e competências. 

O aumento na produção agropecuária brasileira deve ser obtido, prioritariamente, por meio da intensificação do uso de áreas já abertas para a produção, pelo aumento da produtividade, e pela diversificação dos sistemas de produção nos biomas, com pesquisas contínuas em qualidade e eficiência, superiores às já alcançadas, e na busca constante pela sustentabilidade, em todas as suas dimensões. 

Nesse sentido, o Senar, ao longo da sua história, contabiliza cerca de 20 milhões de brasileiros atendidos, gratuitamente. Atua em todas as Unidades Federativas do Brasil, por meio das Administrações Regionais que promovem cursos e capacitações para desenvolver competências profissionais e sociais em mais de 300 profissões, em salas de aula espalhadas pelos campos do Brasil. Realiza ações de Formação Profissional Rural (FPR), atividades de Promoção Social (PS), ensino técnico de nível médio na modalidade subsequente, presencial e a distância, e com um modelo inovador de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG). 

Nenhuma instituição possui todas as soluções para atender de forma completa aos desafios e às oportunidades que estão adiante. Para isso, é necessário fortalecer parcerias dentro e além das fronteiras do país, com instituições de pesquisa e inovação, para a transferência de tecnologia e capacitação. Aumentar a cooperação será essencial para um caminho sustentável e competitivo das cadeias produtivas na agropecuária. 

Pensando nisso, o Senar, há mais de 20 anos, busca parcerias para levar para o campo, através da sua rede de sindicatos rurais e entidades locais, as pesquisas de instituições como a Embrapa, universidades e outras instituições, em forma de capacitações e assistência técnica. Em 2016, desenvolvemos o Projeto ABC Cerrado, com recursos e parceria do Banco Mundial e o Projeto PRADAM, com recursos da FAO, ambos focados na difusão de tecnologias de baixa emissão de carbono, e seguimos na busca de novas parcerias nacionais e internacionais para auxiliar o produtor rural na chamada resiliência climática. 

O Senar desenvolve e dissemina metodologia própria para realização da Formação Profissional Rural em todo o Brasil. Proporciona ao trabalhador, mediante o conhecimento, a possibilidade de conhecer e transformar processos produtivos, de acordo com a realidade e aproveitando as potencialidades do seu desenvolvimento técnico. A programação educativa oferecida pelo Senar é categorizada de acordo com a Série Metodológica do Senar (2016) como Educação Formal e Educação não Formal.

A educação formal ofertada pelo Senar compreende a educação profissional técnica de nível médio na modalidade subsequente que possui o objetivo de capacitar o aluno com conhecimentos teóricos e práticos nas diversas atividades do setor produtivo. 

A Educação não Formal é composta pela Formação Inicial e Formação Continuada. A Formação Inicial é a educação profissional destinada a qualificar jovens e adultos, independentemente de escolaridade prévia e de regulamentação curricular, podendo ser oferecida segundo Itinerários Formativos, de forma livre, em função das necessidades das pessoas inseridas no setor agrossilvipastoril. Já a Formação Continuada é o processo educativo que se realiza ao longo da vida, com a finalidade de desenvolver competências complementares, incluindo, quando necessário, a elevação da escolaridade básica do cidadão. 

Seu propósito é disseminar novos conhecimentos de forma corresponsável e solidária, nos diversos espaços de aprendizagem que compõem o Sistema CNA/Senar/ICNA e que contribuem para desenvolver o meio rural brasileiro de forma sistematizada e qualificada. 

Para ministrar os treinamentos, o Senar conta com uma extensa rede de instrutores credenciados em todo o país, profissionais de áreas técnicas específicas que são capacitados metodologicamente, de forma a saber planejar os cursos com base nas necessidades educativas do seu público, incluindo neste planejamento as questões relativas à saúde e segurança do trabalhador e os cuidados com o meio ambiente, tão necessários à formação integral dos participantes. Além da capacitação metodológica dos instrutores, o Senar elabora e distribui gratuitamente  cartilhas que complementam a aprendizagem, com conteúdo não somente técnico, mas também transversal, com as notas de advertências sobre o meio ambiente e a produtividade, necessárias para que a execução de procedimentos seja adequada, mas também sustentável e rentável.

Isto significa  que o Senar forma cidadãos para atuarem em várias áreas, como na bovinocultura de leite e de corte, na produção de frutas, grãos e hortaliças, no setor sucroalcooleiro e na piscicultura, tendo em mente que os processos produtivos utilizados devem prever não somente a produtividade, mas a perpetuação dos recursos naturais disponíveis, do conforto e bem-estar animal e de minimização do impacto ambiental, uma vez que precisa continuar gerando oportunidades sociais e econômicas para os agentes.

Um dos gargalos que ainda comprometem maiores avanços na agropecuária é a falta de assistência técnica às propriedades. Segundo o Censo Agropecuário 2006 (IBGE), cerca de 90% das propriedades rurais não receberam assistência técnica de maneira regular. Dessa forma, o Senar, em virtude de sua capilaridade e objetivos estratégicos, promove ao produtor rural brasileiro um modelo de transferência de tecnologia associada à consultoria gerencial, que priorize a gestão da atividade de forma eficiente e, com isso, permita alcançar mudanças efetivas no ambiente das empresas rurais, por meio de Assistência Técnica e Gerencial com Meritocracia, em que os resultados obtidos nas propriedades influenciam diretamente a remuneração da equipe técnica.

Atualmente, o Senar atende, gratuitamente, 60 mil produtores, principalmente pequenos e médios, em 14 cadeias produtivas abrangendo todas as regiões do País, com consultoria técnica e gerencial, de forma efetiva e constante. Procurando adaptar-se ao novo modelo de desenvolvimento sustentável, que exige profissionais diferenciados, com conhecimento a respeito das novas tecnologias, mas que também saibam trabalhar com as questões sociais, institucionais e ambientais.

Com uma metodologia própria de Assistência Técnica, o Senar espera que com capacitação o produtor seja capaz de gerenciar sua fazenda como uma empresa sustentável e lucrativa, aplicando novas tecnologias e formas de manejo, permitindo o desenvolvimento do negócio, a elevação de renda e produtividade no setor agropecuário, por consequência, a melhoria da qualidade de vida das famílias participantes. Contribuindo efetivamente com o progresso da produção agropecuária do país, e aproximando o Sistema CNA/Federações e Sindicatos Rurais da realidade vivida pelos produtores, auxiliando-os no enfrentamento de suas principais dificuldades.

Dessa forma, para atender à alta da demanda de alimentos no Brasil e no mundo, mantendo a sustentabilidade do processo produtivo com elevação da renda dos produtores, a agropecuária brasileira terá que incorporar cada vez mais conhecimentos, inovações e tecnologias fortalecendo a sua capacidade de abastecer o mercado, gerando divisas. A capacitação dos produtores rurais, por meio do fortalecimento da educação profissional e da assistência técnica, será fundamental para vencermos os desafios à frente.

Daniel Klüppel Carrara

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar)

Graduado em Engenharia Agronômica (1992) pela Universidade Federal de Viçosa – UFV, Graduado em Análise e Projeto de Sistemas Concentração em O&M (1999) pela Universidade de Brasília – UnB/GFI, possui Pós Graduação em Administração Rural – (1995) pela Universidade Federal de Lavras- UFLA.

Já atuou como Superintendente Executivo da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e atualmente ocupa o cargo de Diretor Geral do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR).