Projetos

Introdução de leguminosa para adubação verde em rotações de culturas em áreas de latossolo da Região Sul do País, visando à economia de fertilizantes nitrogenados e à maior acumulação de carbono e nitrogênio do solo

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

imagem

Foto: Auras, Nátia Élen

As leguminosas usadas como adubo verde, a exemplo do tremoço ( Lupinus spp.) e da ervilhaca ( Vicia villosa), plantadas no inverno na Região Sul do Brasil podem fornecer grandes ingressos de nitrogênio para a cultura subsequente. Em sistemas de rotações de culturas manejados sob plantio direto, já foi demonstrado que a inserção de uma leguminosa pode substituir, parcial ou totalmente, os fertilizantes nitrogenados utilizados na cultura do milho subsequente.
Resultados também mostraram que, sob plantio direto, a inclusão da leguminosa pode promover um incremento de matéria orgânica no solo, sendo que grande proporção desse aumento encontra-se em profundidade no solo (abaixo de 30 centímetros). A substituição do fertilizante nitrogenado e o aumento dos estoques de carbono no solo teriam um grande impacto na mitigação de gases que causam o efeito estufa.
Há evidências que o efeito da leguminosa sobre os estoques de carbono do solo não deriva somente de sua capacidade de acumular nitrogênio pelo processo da fixação biológica de nitrogênio (FBN). Esse efeito positivo da leguminosa possivelmente está relacionado à promoção da formação de macroagregados no solo, devido à maior riqueza e à grande diversidade da microflora na rizosfera e à maior população de fungos micorrízicos arbusculares em comparação com outras culturas de inverno, como trigo e aveia.
O objetivo deste projeto foi verificar, em três experimentos de longo prazo, a eficácia da substituição do fertilizante nitrogenado para o milho pela leguminosa e os efeitos de sua inserção na produção da biomassa aérea e subterrânea do milho. Além disso, pretendeu-se verificar os estoques de carbono e nitrogênio no solo e investigar possíveis mecanismos responsáveis para o acúmulo da matéria orgânica do solo sob plantio direto, já observado em experimentos anteriores.
Para investigar possíveis mecanismos, foram comparados sistemas nas mesmas rotações, sob plantio direto e plantio convencional, nos quesitos estabilidade dos agregados do solo, fracionamento da matéria orgânica do solo, biomassa microbiana, taxa de colonização das raízes dos fungos micorrízicos arbusculares e quantidade de carbono e nitrogênio na fração da glomalina no solo. Os solos, nos três sítios, eram latossolos vermelhos com textura argilosa.

Ecossistema: Extremo Sul

Situação: concluído Data de Início: 09/2010 Data de Finalização: 08/2012

Unidade Lider: Embrapa Agrobiologia

Líder de projeto: Robert Michael Boddey

Contato: robert.boddey@embrapa.br

Galeria de imagens