Projetos

Avaliação da eficiência de estratégias físicas e biológicas na recuperação de voçorocas

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

imagem

Foto: RESENDE, Alexander Silva de

Processos erosivos, principalmente do tipo ravinas e voçorocas, eram causas importantes do elevado volume de sedimentos que vinham assoreando o Rio Paraíba do Sul e os reservatórios de Funil e Sistema Light-Cedae, responsáveis por 25% da energia e 70% da água para consumo da região metropolitana do Rio de Janeiro em 2007.
Este projeto propôs a realização de uma caracterização química e física das áreas estudadas, buscando estabelecer parâmetros que ajudassem a identificar as causas do grande número de voçorocas na região, além de quantificar o volume de sedimentos e nutrientes do solo perdidos por esses processos erosivos. Para isso, foi feita a comparação entre diferentes tempos e estratégias de intervenção em três voçorocas distintas.
Na primeira delas, recuperada em 2000, foram utilizadas estratégias físicas e biológicas. Como estratégia física, foram implantados drenos em nível, na área acima das voçorocas, com bacias nas extremidades, para ordenamento e infiltração da água das chuvas, e paliçadas no interior e no entorno, para retenção dos sedimentos. Já como estratégia biológica adotou-se o plantio de leguminosas arbóreas noduladas e micorrizadas.
Na segunda voçoroca, foram utilizadas somente estratégias físicas, desde 2005. Já a terceira não recebeu nenhuma intervenção. As áreas com essas voçorocas foram caracterizadas quanto aos aspectos físico-hídrico-químicos, ou seja, densidade do solo, clima e chuva, granulometria, infiltração de água, área de contribuição do escoamento superficial e fertilidade (estimando-se teores de carbono, nitrogênio total, cálcio, magnésio, fósforo e potássio).
Para a quantificação do volume de sedimentos e nutrientes perdidos com as voçorocas, foram reformados os coletores construídos na desembocadura de cada uma e, a partir de volume conhecido de cada um, foram feitas as medições, buscando correlacionar os resultados com os eventos pluviométricos de maior intensidade. Foram coletadas quatro amostras de cada um, por evento, para determinação da granulometria e da densidade, além dos teores de nutrientes totais contidos em cada uma delas, relacionando cada evento pluviométrico ao carreamento de sedimentos durante todo o verão de 2007 e 2008.
Dessa forma foi possível estimar as perdas anuais e também a quantidade de nutrientes removidos com o solo. Na voçoroca com tempo de intervenção de seis anos também foram avaliados parâmetros biológicos, com amostras da mata nativa adjacente, da pastagem e da voçoroca sem intervenção.
A partir dos resultados obtidos tornou-se possível difundir a técnica com mais segurança, visando ao estabelecimento de um protocolo de recuperação de voçorocas que poderá ser utilizado por empresas patrocinadoras, produtores rurais ou mesmo pelo poder público.
Os resultados mostraram que a técnica reduz mais de 10% das emissões de sedimentos já no primeiro ano, com custo de implantação de R$ 3,50 por metro quadrado, o que é bem inferior a outras tecnologias.

Ecossistema: Floresta Atlântica

Situação: concluído Data de Início: 04/2007 Data de Finalização: 03/2009

Unidade Lider: Embrapa Agrobiologia

Líder de projeto: Alexander Silva de Resende

Contato: alexander.resende@embrapa.br

Galeria de imagens