História

A pesquisa agropecuária na região Amazônica foi iniciada em 1939, com a criação do Instituto Agronômico do Norte (IAN), transformado em 1962, em Instituto de Pesquisa Agropecuária do Norte (IPEAN).
 
Com o objetivo de gerar tecnologias agrícolas de baixo custo para o território do Amapá, visando a autossuficiência na produção de alimentos, em 1980 foi criado o Núcleo de Pesquisa Agropecuária do Amapá, administrativamente vinculado ao Centro de Pesquisa Agropecuária do Trópico Úmido (CPATU), com sede de Belém/PA.
 
Em 1981, a partir da experiência do Núcleo de Pesquisa, com o apoio do Governo do Amapá foi criada a Unidade de Execução de Pesquisa de Âmbito Territorial de Macapá (UEPAT de Macapá), com sede na capital do Território. O objetivo era gerar e/ou adaptar tecnologias adequadas às condições ecológicas regionais. As UEPAT's dentro do sistema Embrapa, foram criadas e definidas como instituições transitórias, a fim de permitir aos estados a possibilidade de desenvolverem sistemas próprios de pesquisa.
 
Com a criação do Estado do Amapá, a Unidade passou a assumir uma nova identidade, Unidade de Execução de Pesquisa de Âmbito Estadual (UEPAE de Macapá), que em 1º de março de 1991, foi transformada em Centro de Pesquisa Agroflorestal do Amapá (CPAF Amapá), visando proporcionar o fortalecimento das ações de pesquisa, voltadas para a geração de conhecimentos básicos e de tecnologias, que propiciem o desenvolvimento sustentado do Amapá, através de uma política harmoniosa de utilização e conservação dos recursos naturais. Além de estabelecer relações para o âmbito da pesquisa e desenvolvimento agropecuário com os países fronteiriços, localizados na bacia Amazônica.