Exposição de Tecnologias da Embrapa Para Goiás 2015Logotipo da ExpoTec Embrapa 2015

 

 

Dia 26 de Março de 2015 (quinta-feira)
Local: Embrapa Arroz e Feijão, Rod. GO-462, km 12, Fazenda Capivara, Santo Antônio de Goiás-GO

Objetivo: Divulgar as soluções tecnológicas desenvolvidas pela Embrapa para a agropecuária do estado de Goiás.
Público-alvo: Instituições públicas e privadas, produtores, técnicos e estudantes.


Resumos das Tecnologias Apresentadas

Produtores, técnicos, estudantes e profissionais de instituições parceiras são esperados no próximo dia 26 de março, a partir das 08h, na sede da Embrapa Arroz e Feijão, em Santo Antônio de Goiás, para participar da exposição de tecnologias para o Estado. O evento, que será realizado pela primeira vez em território goiano, trará alguns dos principais produtos da Embrapa para as culturas do algodão, arroz, feijão, soja e sorgo, além de forrageiras e da integração lavoura e pecuária.

Saiba Mais

 

Estação Algodão

BRS 369: Cultivar de ciclo médio precoce e porte baixo, com abertura da primeira flor aproximadamente aos 55 dias, emissão do primeiro capulho aos 105 a 110 dias e ciclo completo em 165 a 170 dias, tolerante ao herbicida glifosato, para cultivo em segunda safra nos estados de GO, MT e MS. Tem potencial produtivo de 3900 a 4500 kg/ha, com 40,5% de rendimento de fibra. Indicada para espaçamento normal (0,76 m) e estreito (0,45 m) entre fileiras, com população de plantas de 90 -160 mil/ha.

BRS 370: Cultivar de ciclo médio/precoce, recomendada para 2° safra, tolerante ao glifosato. Cultivar com ampla adaptação aos estados de GO, MT e MS, para cultivo em primeira e segunda safra. Apresenta plantas de porte e ciclo médios com abertura do primeiro botão floral aos 60 dias, emissão dos primeiros capulhos aos 115 a 120 dias, com ciclo total de 180 a 185 dias. Recomenda-se populações de 80 a 90 mil plantas/ha. Apresenta elevado potencial produtivo (4300 a 4500 kg/ha) com 40,5% de rendimento de fibras.

Espécies de cobertura para os sistemas de produção no cerrado: A diversificação do sistema de produção por meio do cultivo espécies de cobertura do solo pode auxiliar manejo de alguns potencias problemas da agricultura brasileira, a exemplo dos nematoides, mofo branco e percevejo castanho. Plantas de cobertura também  protegem o solo da erosão e auxiliam no manejo de plantas daninhas e na ciclagem de nutrientes. O agricultor deve selecionar aquela ou aquelas espécies que melhor se adequem aos principais problemas e objetivos da propriedade.

 

Estação Componente Animal

Feijão Guandu BRS Mandarim: A cultivar possui alta produtividade (17 ton/ha/ano), tolerância à seca e à cigarinha, podendo ser utilizada para adubação verde e recuperação de pastagens degradadas. De fácil implantação e manejo, inclusive em solos de baixa fertilidade, pode ser utilizado em consorciado com milho e braquiária.

Capim Massai BRA 007102: Possui excelente produção de forragem com grande velocidade de estabelecimento e de rebrota, com média tolerância ao frio e boa resistência ao fogo. Adaptado às condições de baixa fertilidade do solo, possui boa resistência ao ataque da cigarrinha-das-pastagens. Taxa de lotação de 3,1 e 1,2 UA/ha (águas e seca, respectivamente), com ganho médio de 620 kg PV/ha/ano.

Capim BRS Paiaguás: Uma opção de Brachiaria brizantha para a diversificação de pastagens em solos de média fertilidade nos cerrados, com altor teor de folhas, bom valor nutritivo e alto potencial de produção animal na seca. Produção média de 45 kg/ha/ano a mais que o BRS Piatã. Indicado para integração lavoura-pecuária, é de fácil utilização com milho safrinha, resultando em boa produção de palhada para plantio direto e fácil dessecação.

Capim BRS Zuri: É uma gramínea cespitosa, manejada preferencialmente sob pastejo rotacionado, com altura de entrada de 70 a 75 cm e altura de saída de 30 a 35 cm. Apresenta tolerância moderada ao encharcamento do solo, semelhante ao Tanzânia-1, porém se desenvolve melhor em solos bem drenados, sendo uma opção para diversificação de pastagens no Cerrado. Suas principais características são a elevada produção, o alto valor nutritivo, a resistência às cigarrinha-das-pastagens e o alto grau de resistência à mancha das folhas, causada pelo fungo Bipolaris maydis.

Capim BRS Piatã: Cultivar com características de robustez e produtividade. É adaptada a solos de média e boa fertilidade das zonas tropicais brasileiras. A BRS Piatã é uma boa alternativa para a integração lavoura-pecuária por apresentar fácil dessecação e crescimento inicial mais lento que os capins Xaraés e Marandu, além das características favoráveis de manejo, arquitetura de planta e acúmulo de forragem no período seco. Consorcia-se muito bem com estilosantes Campo Grande e também com milho e sorgo.

BRS Canará: Caracteriza-se por apresentar porte alto; touceiras de formato semiaberto e se destaca por apresentar alta produtividade de forragem (até 150 ton MS/ha/ano) e ente 7 - 12% PB. Propagação vegetativa por meio de estacas.  É recomendada para alimentação animal sob a forma de capineira no Bioma Cerrado, sendo um importante recurso forrageiro para intensificação da produção animal durante a época chuvosa, com possibilidade de uso até meados da época seca.

BRS Kurumi: Cultivar BRS Kurumi que se caracteriza por apresentar touceiras de formato semiaberto, com crescimento vegetativo vigoroso de rápida expansão foliar, intenso perfilhamento e porte baixo. A cultivar possui propagação vegetativa por meio de estacas. Destaca por apresentar alto potencial de produção de forragem com excelentes características nutricionais, o que possibilita ao produtor intensificar a produção animal com menor uso de concentrado. Elevada relação folha/colmo e facilidade de manejo devido seu porte baixo.

ILP com milho e capim BRS Piatã: O sistema de integração que envolve o componente agrícola e componente pecuário em rotação, consórcio e/ou sucessão na mesma área. Funciona basicamente com o plantio, durante o verão, de culturas agrícolas anuais (arroz, feijão, milho, soja ou sorgo) associado a espécies forrageiras (braquiária ou panicum). A integração milho + braquiária pode ser utilizada tanto na recuperação de pastagens (produção pecuária) como para a produção de palhada e quebra de ciclo de parasitas para a próxima cultura (produção agrícola).

 

Estação Feijão

BRS Esteio: A cultivar BRS Esteio apresenta grãos com qualidade superior, comprovados pelas principais indústrias empacotadoras. Possui o maior potencial produtivo dentre as cultivares da Embrapa que estão no mercado (4.702 Kg/ha, é resistente às principais raças de Colletotrichum lindemuthianum, fungo causador da antracnose. Apresenta ciclo de 85 a 95 dias, com porte de planta ereto, sendo adaptada à colheita mecanizada direta.

Fixação Biológica de Nitrogênio (FBN): A FBN é um tecnologia onde bactérias fixadoras de nitrogênio são utilizadas no tratamento das sementes feijão para promover o fornecimento de nitrogênio às plantas. Com a utilização da FBN os produtores podem ter diversos ganhos, como: o menor uso de adubos nitrogenados; a característica de contribuir para o auto-fornecimento do nitrogênio utilizado para a formação da planta minimiza os impactos do nitrogênio sobre o meio ambiente; o uso de leguminosas como adubos verdes eficientes para FBN fornece nitrogênio para o solo e melhora suas propriedades físicas, químicas e biológicas e; aumento de produtividade, especialmente em solos deficientes em nitrogênio disponível.

 

Estação Arroz

BRS Esmeralda: possui como principais características a alta produtividade, plantas vigorosas com boa arquitetura e senescência tardia ("stay green"). Seus grãos são longo-finos e apresentam ótima qualidade de cocção. É uma cultivar de ampla adaptação e estabilidade de cultivo nas principais regiões produtoras do Brasil, apresentando tolerância a veranicos superior às demais cultivares do mercado.

 

Estação Sorgo

Sorgo granífero: Esta cultivar é alternativa importante para produção de grãos com segurança. A tolerância do sorgo ao estresse hídrico tem sido a principal razão para o aumento da área plantada com esse cereal, que ocorre predominantemente na segunda safra no Brasil, em sucessão à cultura da soja. O cultivo de sorgo granífero tem contribuído para a oferta sustentável de grãos de baixo custo para a agroindústria de rações. O grão apresenta bom valor nutritivo e sanidade, sendo a sua menor contaminação por micotoxinas, um interessante atrativo.

Sorgo sacarino: Esta cultivar é opção para produção de etanol. O sorgo sacarino apresenta alto potencial para produzir biomassa e assemelha-se à cana-de-açúcar, por apresentar colmos suculentos com altos teores de açúcares fermentáveis. Tem ciclo curto, de quatro meses e a cultura é totalmente mecanizável, do plantio à colheita. É uma cultura com potencial para fornecimento de matéria-prima durante a entressafra (dezembro a abril) de cana-de-açúcar, visando antecipar e reforçar a produção nacional de etanol e aumentar o período de operação das usinas.

Sorgo biomassa: Cultura promissora para geração de energia. Uma planta que atinge até seis metros em apenas 180 dias é uma alternativa interessante para uma das grandes demandas da atualidade, a geração de energia. Trata-se de um tipo de sorgo que apresenta rápido crescimento e alto potencial produtivo. O chamado sorgo biomassa tem sido pesquisado pela Embrapa e apresenta qualidade para gerar energia com poder calorífico similar ao da cana, do eucalipto e do capim-elefante. O sorgo biomassa é propagado por sementes, o que facilita a implantação das áreas e a cultura é totalmente mecanizável.

 

Estação Soja

Tecnologias Bt para tolerância a insetos: A Soja Bt é uma importante ferramenta no manejo das principais lagartas desfolhadoras, mas a longevidade da tecnologia depende da sua correta utilização. Assim, é importante que os agricultores entendam as limitações da tecnologia e adotem áreas de refúgio estruturado, para que insetos sensíveis à toxina Bt sobrevivam e retardem a evolução de populações resistentes.

 

 

Um giro por soluções tecnológicas da Embrapa para Goiás

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Veja como chegar: