A vertente de atuação da Embrapa em políticas globais visa acompanhar, preparar e gerenciar as posições institucionais e subsidiar as posições do governo brasileiro em convenções, acordos, protocolos, tratados, comissões e fóruns globais – tais como Fórum das Nações Unidas sobre as Florestas, Convenção de Diversidade Biológica, Convenção sobre Mudanças do Clima, Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, Organização Mundial do Comércio, Convenção Internacional de Combate à Desertificação, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, entre outros.

A Embrapa subsidia o governo brasileiro nas negociações estratégicas em âmbito internacional envolvendo o setor agropecuário por meio de contribuições técnicas e científicas que integram o posicionamento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e do Brasil, a partir de articulação do Mapa com o Ministério das Relações Exteriores (MRE). O trabalho consiste em identificar, juntamente com as equipes técnicas dos Portfólios e das Unidades da Embrapa, assuntos e elementos do processo negociador internacional que sejam relevantes para o setor agropecuário brasileiro.

A metodologia de trabalho é composta por: (i) análise de documentos oficiais; (ii) produção de pareceres, relatórios e notas técnicas para subsidiar o Mapa e o governo brasileiro; (iii) participação in loco e virtual de reuniões negociais internacionais, visando assessorar decisões de acordo com os interesses da agricultura e da pesquisa científica brasileiras; (iv) coordenação com atores e negociadores chave de outros países e grupos de negociação e (v) participação em reuniões preparatórias e de coordenação sob liderança do MRE.

A Embrapa participa, com representação formal, de várias comissões e grupos de trabalho do governo brasileiro relacionados a políticas e fóruns globais. Destacam-se as atividades da Comissão de Desenvolvimento Sustentável da Agropecuária (CDSA), criada pelo Mapa em 2019 e que tem permitido maior integração de posições definidas entre o Ministério e a Embrapa.