De Marte para o agro: Embrapa inova ao aplicar a fotônica para avaliar solos, água, grãos e citros

Presente na computação, em novos sensores e equipamentos, nos tratamentos médicos e odontológicos, na comunicação e manufatura, a utilização de fótons (radiação eletromagnética) no agro brasileiro conta, desde 2021, com o Laboratório Nacional de Agrofotônica (Lanaf), instalado em São Carlos, SP, único totalmente dedicado a aplicações no setor agropecuário. Veja os vídeos de casos de sucesso.

Algumas aplicações já estão em desenvolvimento e outras, já à disposição do mercado, inclusive sendo inspiradas nos robôs que avaliam o solo de Marte, entre as quais destacam-se:

AGLIBS – parceria com a startup Agrorobótica. Utiliza laser para analisar os elementos do solo, em menor tempo e custo em relação às análises químicas e sem geração de resíduos. Adotado em 17 estados brasileiros, processa 1.200 amostras de solo por dia e gera mapas de carbono, fertilidade, pH e textura dos solos.

Sonda multiparâmetros para aquicultura – parceria com a startup Acqua Nativa Monitoramento Ambiental. Analisa 14 parâmetros da qualidade da água, inclusive clorofila e a proliferação de algas nos tanques. Custa 75% menos que modelo similar importado. Permite colocar mais peixes e ainda economizar água.

Método para avaliação do vigor de sementes de soja e milho – em desenvolvimento com uma empresa multinacional. Pretende classificar sementes quanto ao seu vigor – alto ou baixo – com a técnica LIBS (do inglês, laser-induced breakdown spectroscopy). Tem taxa de acerto superior a 90%. É mais rápido e custa menos do que os métodos tradicionais.

Classificação da qualidade de grãos de soja para o comércio internacional – em desenvolvimento com a empresa Brasil Agritest. Classifica-se a soja de forma automática quanto à cor, defeitos, presença de patógenos, integridade dos grãos e tamanho. Emitem-se laudos de qualidade do lote com mais rapidez e assertividade.

Robô Mirã para agricultura de precisão – desenvolvido com a Universidade de São Paulo (USP) e apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Possui um sistema LIBS portátil embarcado, capaz de fazer análise de nutrientes, quantidade de carbono e textura dos solos, de forma rápida e mais barata em relação aos métodos tradicionais.

Diagnóstico de Greening (HLB) em plantações de citros – óculos que utiliza filtro de luz incorporado às lentes para identificar no campo as plantas com Greening (HLB ou amarelão dos citros) – a doença mais temida pelos citricultores. Tecnologia licenciada para a empresa Fhocus Optical Solutions.

Foto: Tati Zanichelli

Estimativa dos Impactos Econômicos Gerados por Cultivares da Embrapa em 2021

Notas:
(1) Os valores apresentados nesta coluna são o resultado da multiplicação da produção total (dados da Conab - (B)) pelos preços nominais referentes a 2020 destes produtos
(2) Os benefícios econômicos estimados são provenientes de cultivares da Embrapa e das obtidas em parceria.
(3) Produção total do algodão corresponde ao algodão em caroço.
(4) Arroz irrigado corresponde ao arroz do Rio Grande do Sul, saca de 50 kg.
(5) Feijão-caupi não é considerado nesta tabela de cultivares.
(6) Dados de área e produção de trigo referentes a 2020 correspondem a estimativas de janeiro de 2021.

Fontes:
(A, B) – Conab Safras – Acompanhamento da safra brasileira – Séries históricas – www.conab.gov.br/info-agro/safras – acesso em 26/01/2021
 – Safra 2019/2020;
(C) – Conab Preços Agropecuários – Preços de mercado – https://www.conab.gov.br/info-agro/precos – acesso em 26/01/2021
 – Safra 2019/2020;
(D) – Pesquisas de campo (amostra de produtores) da Kleffmann, na safra 2010/2011;
(E) – Embrapa, Secretaria de Desenvolvimento Institucional.

Metodologia: Avaliação dos impactos de tecnologias geradas pela Embrapa - metodologia de referência.