22/08/16 |   Transferência de Tecnologia

Projeto Bem Diverso promove curso de manejo de açaizais nativos em Melgaço (PA)

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Ronaldo Rosa

Ronaldo Rosa -

A Embrapa Amazônia Oriental (Belém, PA) prossegue nesta semana a série de treinamentos em manejo de açaizais nativos no arquipélago do Marajó. Desta vez o curso será realizado no projeto de assentamento agroextrativista Santa Maria, no município de Melgaço (PA), de terça (23) a sexta-feira (26). O público será formado por técnicos em extensão rural e lideranças comunitárias do assentamento.

De acordo com o engenheiro florestal José Leite, o manejo de açaizal nativo é uma tecnologia recomendada pela Embrapa e que busca estabelecer uma proporção adequada entre pés de açaí e de outras espécies florestais numa mesma área. "Os objetivos principais são aumentar a produção de frutos de açaí, manter ou aumentar a diversidade florestal da área, ampliar o período de produção de frutos de açaí e reduzir o esforço e aumentar a segurança na coleta de frutos", explica Leite.

O curso terá a duração de quatro dias, alternando aulas teóricas e práticas na floresta de várzea. Na propriedade de um ribeirinho, será demarcada uma área de 2.500 m² para a intervenção de manejo. Depois de um inventário florestal, os participantes vão decidir quais árvores serão removidas e quais seguirão fazendo companhia aos açaizais. "Dependendo da estrutura da floresta e da densidade de touceiras de açaizeiros, poderá ser necessária a eliminação de touceiras ou plantio de mudas de açaí", afirma Leite.

A recomendação da Embrapa é que em cada hectare seja mantido uma proporção próxima a 400 touceiras de açaizeiros, 50 palmeiras de outras espécies e 200 árvores. "Dessa forma, é possível elevar a produtividade média para até seis toneladas por hectare. Em áreas manejadas de forma inadequada, a média fica em torno de duas toneladas por hectare", afirma Leite. Além de aumentar a produção de frutos, o manejo de açaizais também proporciona a expansão do período de colheita.

Bem Diverso - O trabalho será realizado em parceria com os escritórios da Emater em Breves e em Melgaço, com apoio da Secretaria Municipal de Agricultura de Melgaço. O curso faz parte do projeto Bem Diverso, uma parceria entre a Embrapa e o Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento (PNUD), com recursos de doação do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF). A iniciativa abrange ações em outros biomas do país e é liderada pela Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia. O principal objetivo é conservar a biodiversidade brasileira e gerar renda para comunidades tradicionais e agricultores familiares.

A bebida açaí é um item importante na dieta alimentar dos habitantes da região do Marajó. Os frutos são colhidos quando maduros, postos para amolecer em água morna e macerados com a adição de água. Melgaço, na Mesorregião do Marajó, convive com o título de apresentar o menor IDH do país. De acordo com o censo realizado pelo IBGE em 2012, metade da população (12 mil habitantes) não sabe ler nem escrever. "Os frutos excedentes da alimentação são vendidos, constituindo hoje um dos principais componentes da renda monetária das famílias marajoaras", afirma Leite.   

As atividades do projeto Bem Diverso vão se estender até 2019. "A cada ano, as mesmas comunidades receberão outra edição do curso para avaliarem as áreas de açaizais que foram manejadas e receber orientações para novas intervenções", afirma o coordenador do projeto na região, pesquisador Raimundo Nonato Teixeira.  

 

Vinicius Soares Braga (MTb 12.416/RS)
Embrapa Amazônia Oriental

Contatos para a imprensa

Telefone: (91) 3204-1191

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

marajóaçaímanejobemdiverso