24/08/16 |   Gestão Estratégica

Aproximação entre Embrapa e Finova beneficia a Região Leste do MS

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Christiane Congro Comas

Christiane Congro Comas - Alguns participantes da reunião técnica

Alguns participantes da reunião técnica

Conhecer e identificar as oportunidades de parceria entre a Embrapa Agropecuária Oeste e a Fundação Instituto de Tecnologia e Inovação de Nova Andradina (Finova) foi o objetivo principal da reunião técnica realizada entre as duas instituições. A reunião aconteceu nessa terça-feira, 23 de agosto, pela manhã, no auditório da Embrapa e buscou esclarecer as principais demandas regionais de diversos setores, com destaque para o agronegócio.
 
Além de chefes, supervisores, pesquisadores e analistas da Embrapa, participaram da reunião o diretor presidente da Finova, Renato Pires da Silva Filho; os professores do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul, do Campus de Nova Andradina e responsável pelo Probatec Agronegócio da Finova, Pedro Fonseca Camargo; o diretor geral da Faculdades Integradas de Nova Andradina (Finam/Uniesp), Henrique de Barros Silva; o professor da UEMS, Sonner Arfux de Figueiredo; o professor da UFMS, Antônio Sérgio Eduardo e a professora da UFGD, Maria Rita Rodda.
 
Para o diretor presidente da Finova, Renato Pires da Silva Filho, a integração com a Embrapa Agropecuária Oeste, tanto no Probatec Agronegócio quanto como membro do Conselho Curador é muito importante. "Queremos que a Embrapa participe das tomadas de decisões, da estruturação dos projetos e que a Finova possa contribuir viabilizando a solução das demandas que forem identificadas. Enfim, desejamos que a Unidade venha a participar do nosso Centro de Referência Tecnológica", acrescentou ele. 
 
O Chefe Geral da Embrapa Agropecuária Oeste, Guilherme Lafourcade Asmus, disse que a reunião foi um importante passo em favor da aproximação com essa importante Fundação Tecnológica que vai alavancar o desenvolvimento de Nova Andradina e região. "As soluções que serão geradas por meio dessas ações, dessas incubadoras, enfim desse pólo tecnológico contribuirá com a solução de problemas regionais beneficiando os agricultores  da Região Leste do MS", disse Guilherme.
 
O professor do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul, do Campus de Nova Andradina e responsável pelo Probatec Agronegócio da Finova, Pedro Fonseca Camargo, explica que a reunião com a Embrapa foi muito animadora. "Acredito que essa parceria possa render muitos frutos para o agronegócio regional, beneficiando tanto os pequenos produtores quanto os demais, por meio do desenvolvimento de novas tecnologias, que contribuam com o aumento de produtividade e também trazendo mudanças ao arranjo produtivo que existe hoje nesses regiões", explicou Pedro.
 
Ele explicou ainda que uma das demandas da Finova consiste no aprimoramento das atividades desenvolvidas pelos pequenos agricultores que atualmente possuem algumas dificuldades para atenderem as demandas de fornecimento de alimentos para compor a merenda escolar, conforme estabelecido pela Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009, que  determina que no mínimo 30% do valor repassado aos municípios pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) deve ser utilizado na compra de gêneros alimentícios diretamente da agricultura familiar.
 
Conheça a Finova - A Finova atua na Região Leste do MS, que reúne as cidades de Nova Andradina, Bataguassu, Anaurilândia, Bataiporã, Taquarussu, Novo Horizonte do Sul, Ivinhema e Angélica. Esses oito municípios serão amplamente beneficiados pelas atividades propostas pela Finova, que pretende estabelecer caminhos para que a ciência, tecnologia e inovação sejam utilizadas em benefício dos setores produtivos regionais. 
 
A iniciativa que levou a criação da Finova partiu da Prefeitura de Nova Andradina, que pretende em parceria com as universidades e os institutos de pesquisa, promover o desenvolvimento sustentável com base na ciência, na tecnologia e na inovação. "A Finova funciona como um centro de referência tecnológica para as empresas e outras organizações públicas e privadas de Nova Andradina e região, desenvolvendo assim, a economia, a sociedade, a infra-estrutura, o meio ambiente e a gestão pública", explica Renato.
Todas as atividades da Finova estão organizadas por meio do Programa de Desenvolvimento Sustentável de Base Tecnológica e Inovação (Probatec), que, estruturado em quatro subprogramas: Probatec Agronegócio, Probatec Digital, Probatec Ambiental e Probatec Parcerias. A Finova já tem Núcleos definidos de atuação e projeto arquitetônico para construção de seu Parque Tecnológico.
 
A tomada de decisões da Finova é feita por meio do seu Conselho Curador, da qual a Embrapa Agropecuária Oeste conta com a presença de dois representantes: o Chefe Adjunto de Transferência de Tecnologia, Auro Akio Otsubo e do pesquisador Claudio Lazzarotto.
 

Christiane Congro Comas (Mtb-SC 00825/9 JP)
Embrapa Agropecuária Oeste

Contatos para a imprensa

Telefone: (67) 3416-6884

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

agricultura familiarfinovanova andradinafundação