27/02/07 |

Dessecante na pré-colheita exige cuidados

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Os produtores brasileiros já deram início à colheita da soja que deve resultar em aproximadamente 57 milhões de toneladas do grão. De acordo com os pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa),vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, é preciso ter critério para dessecar a soja na pré-colheita. "Indicamos a prática de dessecação apenas em situações extremas: para controlar o excesso de plantas daninhas – que interferem na colheita - e também para uniformizar as plantas de soja com maturação desigual (causada por ataque de percevejo, ou outros fatores que possam ocasionar desequilíbrio na maturação)", explica o pesquisador Dionísio Gazziero, da Embrapa Soja.

Segundo ele, a dessecação não deve ser encarada como uma prática de rotina. Se necessária, deve ser feita apenas quando a planta atingir o estádio de maturação fisiológica, ou seja, quando pelo menos uma vagem está madura na haste principal e as outras estão verdes ou amareladas. "Se não for respeitada esta fase de desenvolvimento da planta, a dessecação pode prejudicar o enchimento dos grãos e provocar defeitos como o aparecimento de grãos esverdeados, fatores que podem levar a perdas de rendimento e na qualidade do produto final", explica.

O pesquisador alerta também que a aplicação, após a ocorrência de períodos de chuva, poderá aumentar a incidência de grãos deteriorados por fungo. Outro ponto que deve ser respeitado pelo agricultor é o período de carência do dessecante. Depois de aplicado o produto, é necessário esperar sete dias para realizar a colheita. "Se não for respeitada a carência, os grãos vão apresentar resíduos do produto acima do permitido", enfatiza.

O pesquisador José de Barros França Neto ressalta ainda que a dessecação da soja na pré-colheita é indicada apenas para produção de grãos e não é recomendada para campos de produção de semente. "Essa prática acarreta em redução da qualidade da semente, porque reduz seu vigor e germinação", explica.

 

Lebna Landgraf (MTb 2903)Embrapa SojaContatos: (43) 3371-6061lebna@cnpso.embrapa.br

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/