16/05/17 |   Automação e Agricultura de Precisão

Instituições articulam parceria para agricultura de precisão em SE, AL e BA

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Divulgação

Divulgação - Pesquisador Patto (fundo à esq., de azul) e parceiros do setor privado

Pesquisador Patto (fundo à esq., de azul) e parceiros do setor privado

Desenvolver soluções tecnológicas avançadas para uma agricultura de precisão na região denominada SEALBA – que compreende novas áreas agrícolas em Sergipe, Alagoas e Bahia –, garantindo diagnósticos precisos, aumentando a eficiência no uso de insumos e fortalecendo a sustentabilidade da produção. Esse é o objetivo da parceria que está sendo construída entre Embrapa e organizações do setor privado para realização de pesquisas em áreas de produção no novo território.

Um grupo de trabalho foi constituído, composto pelo pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju, SE), Edson Patto, os engenheiros-agrônomos Jonatha Pfaffmann de Almeida Couto e Rafael Cavalcante de Melo, da Tecnoparts Agricultura de Precisão, o engenheiro de produção Celso Hiroshi Hayasi e o geólogo Tiago Ximenes Cabral Dutra, da Invento Geosoluções e o engenheiro-agrônomo Celso Zuppi, da Syngenta.

Os parceiros se reuniram no final de abril para discutir as ações de pesquisa. A primeira delas deve ser a implantação de um experimento para doses de adubação nitrogenada na cultura do milho – na qual Sergipe tem destaque nacional –, com objetivo ajustar equações para recomendação em tempo real de doses de nitrogênio em função do NDVI (Normalized Difference Vegetation Index, em inglês), obtido por meio de imagens aéreas com câmeras multiespectrais e outros tipos de sensores.

NDVI equivale em português a Índice de Vegetação da Diferença Normalizada. Serve para analisar a condição da vegetação natural ou agrícola nas imagens geradas por sensores remotos, a exemplo de imagens de drones, satélites e outras tecnologias de sensoriamento remoto com câmeras especiais.

Aplicações
Entre suas diversas aplicações, a tecnologia serve para monitoramento de lavouras, detecção de efeitos de secas, detecção de danos provocados por pragas, estimativas de produtividade agrícola, determinação de dosagens variáveis e precisas de insumos por cada parcela, modelização hidrológica e mapeamento de áreas agrícolas.

Os integrantes do grupo também discutiram uma ação em área de produção comercial de milho na região de Rio Real, no nordeste da Bahia, onde serão obtidos mapas de NDVI para aferição das correlações desse índice com produtividade e outras variáveis da lavoura.

Os participantes mostraram-se animados e abertos para inclusão de novos parceiros para fortalecimento do grupo de trabalho, que poderá expandir suas ações para outras culturas destinadas a produção de grãos, bem como para pastagens, cana-de-açúcar, fruteiras, olerícolas e outras.

Além da recomendação de adubação em doses variadas, também poderão ser estudadas outras variáveis, como a detecção de infestação por pragas e doenças para tomada de decisão rápida de controle.

“A recomendação de uso de insumos de forma racional por meio da agricultura de precisão será importante para aumento do lucro dos produtores, além da diminuição dos riscos de contaminação ambiental pelo uso excessivo de insumos agrícolas”, explica Patto.

Saulo Coelho - Jornalista (MTb/SE - 1065)
Embrapa Tabuleiros Costeiros

Telefone: (79) 4009-1381

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Galeria de imagens

Encontre mais notícias sobre:

milhosealbaagricultura de precisaoautomacaodronendvi