10/02/15 |   Transferência de Tecnologia

Caravana Embrapa realiza treinamento no Paraná sobre manejo de pragas

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: RRRufino

RRRufino - Monitoramento de pragas da soja

Monitoramento de pragas da soja

A segunda fase da Caravana Embrapa realiza seu primeiro treinamento em 2015 nos próximos dias 10, 11 e 12 de fevereiro, na Embrapa Soja, em Londrina (PR). O evento é um treinamento para tomada de decisão no Manejo Integrado de Pragas (MIP). São esperados aproximadamente 50 profissionais da assistência técnica em cada um dos três dias de curso.

O ataque de pragas às culturas agrícolas tem sido uma preocupação frequente para os agricultores brasileiros. Segundo o pesquisador Samuel Roggia, da Embrapa Soja, novas pragas e pragas de difícil controle têm ganhado cada vez mais importância e exigido um debate mais aprofundado sobre as estratégias para seu manejo. Com essa preocupação, a Embrapa está realizando a segunda edição da Caravana Embrapa em diversos estados brasileiros. A etapa Paraná irá abordar as culturas de soja e milho.

A segunda fase da Caravana foi lançada em dezembro de 2014, em Passo Fundo (RS). A ideia é percorrer nove polos de produção de grãos e fibras do país, para monitorar de perto o impacto das pragas no resultado da safra 2014/2015. A estratégia agora passa pela capacitação de representantes da assistência técnica e extensão rural em dois focos: a identificação correta de pragas e inimigos naturais e a tomada de decisão sobre qual melhor ação de controle a ser implementada, dependendo das ameaças encontradas no campo.

Confira a programação

8h30-10h30 – Palestra sobre ameaças fitossanitárias e paisagem agrícola.  Manejo Integrado de Pragas. Monitoramento e níveis de controle das principais pragas da soja e do milho

10h45-12h30 - Práticas em campo: pano de batida, armadilha luminosa, armadilha com feromônios, coleta de inimigos naturais com rede entomológica e amostragem de pragas da superfície do solo.

13h30-15h45 - Práticas em estações: identificação das principais pragas de soja e milho, identificação de inimigos naturais em pragas da soja, reconhecimento e bioecologia de patógenos e suas utilizações.

16h -17h - Debate sobre tomada de decisão no Manejo Integrado de Pragas.

Segunda fase

"Durante a primeira fase, registramos forte demanda dos técnicos sobre como identificar corretamente pragas e inimigos naturais no campo. Esta passou a ser uma prioridade nas apresentações, e agora vamos poder tratar isso mais detalhadamente. Outra demanda foi sobre quando e como tomar a melhor decisão, se devo usar controle biológico ou controle químico a partir de uma situação encontrada na região ou os dois de forma conjugada, no momento certo", afirma Sergio Abud, um dos coordenadores da ação da Embrapa.

Cada capacitação será composta de quatro módulos. O primeiro é o único de base teórica e tem como fundamento a visão da paisagem agrícola para resolver o problema das pragas agrícolas, não olhando somente a cultura ou a propriedade rural, passando pelas bases do Manejo Integrado de Pragas, pelas principais pragas de soja e milho, pelo monitoramento e pelos níveis de controle.

A parte prática já começa no segundo módulo, quando os técnicos passam para uma sala de aula, divididos em cinco estações: uma apresentando pragas de solo, outra pragas desfolhadoras, outra com pragas de vagem e de espiga, outra focando inimigos naturais e a última, parasitoides.

Na terceira parte os técnicos seguem para o campo, com demonstrações práticas de monitoramento de pragas. O último módulo do curso é um debate, onde todos os grupos exercitam a análise prática da situação-problema encontrada e a tomada de decisão sobre qual estratégia deve ser tomada para melhor controlar as pragas identificadas em campo.

Os nove polos escolhidos para participar da segunda fase da Caravana Embrapa são: Amapá, Roraima e centro-norte do Pará; Tocantins e o sul do Pará; sudoeste da Bahia; Alagoas e Sergipe; Mato Grosso; Mato Grosso do Sul; Minas Gerais; São Paulo e Paraná; e Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A agenda para os próximos treinamentos será definida em uma reunião ao final da etapa de Londrina, nesta sexta-feira (13).

Primeira caravana mobilizou 6 mil técnicos

A primeira fase da Caravana começou em dezembro de 2013 e percorreu 18 Estados e regiões produtoras até março de 2014, mobilizando mais de 6 mil técnicos rurais de Ematers, cooperativas, associações de produtores. Até então, a abordagem estava diretamente relacionada com a presença da lagarta Helicoverpa armigera e o desequilíbrio provocado nos mais diversos sistemas de produção do País. Ao todo, a Empresa deslocou 30 de seus melhores especialistas para atuar diretamente nas palestras e mais de 200 empregados.

Lebna Landgraf (MTb 2903/PR)
Embrapa

Telefone: (43) 3371-6061

Robinson Cipriano (2057 - DF)
Embrapa

Telefone: (61) 3448-1611

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

caravana embrapahelicoverpapragascaravanamipmanejo integrado de pragas