11/07/17 |   Transferência de Tecnologia

Embrapa capacita técnicos do Suriname na cultura do arroz

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Embrapa

Embrapa -

Capacitar técnicos extensionistas sobre o manejo adequado da cultura do arroz no Suriname, esse foi o principal objetivo da missão realizada no período de 04 a 07 de julho, em Suriname, pelos pesquisadores da Embrapa: Adriano Stephan Nascente, Marta Cristina Corsi de Filippi e José Alexandre Freitas Barrigossi. Foram três dias de palestras técnicas no auditório do Ministério da Agricultura em Paramaribo, capital do país, e uma aula prática na localidade de Nickerie.

Durante o curso, 44 técnicos da extensão rural do Suriname e pesquisadores da Embrapa trocaram informações sobre a morfologia e as fases de desenvolvimento das plantas de arroz; controle de pragas, doenças e de plantas daninhas; manejo da adubação; e cultivares para os sistemas de cultivo em terras altas e irrigado. Essa ação integra o projeto “Apoio ao melhoramento do cultivo do arroz em Suriname”, que envolve, além da Embrapa, a Agência Brasileira de Cooperação (ABC/MRE), Ministério da Agricultura de Suriname e a embaixada de Nova Zelândia no Brasil.

De acordo com os pesquisadores da Embrapa, a capacitação foi importante, devido a vários aspectos. Cristina Filippi destacou que há regiões de cultivo no Suriname que possuem umidade e temperaturas altas, que favorecem a incidência de doenças, portanto, é necessário estar atento para a adoção de medidas adequadas. Conforme outro pesquisador, José Alexandre, a maioria das pragas encontradas no país também ocorre no Brasil, o que torna as práticas de controle semelhantes. Já Adriano Nascente avaliou que “a execução do curso proporcionou ferramentas para que os técnicos possam orientar os produtores rurais, mesmo após o encerramento das atividades do projeto, garantindo a continuidade de ações”.

Cooperação Técnica

O projeto “Apoio ao melhoramento do cultivo do arroz em Suriname” visa apresentar tecnologias sustentáveis para proporcionar aumento da produtividade do arroz, obtida pelo povo Quilombola (descendentes de negros africanos) de Suriname. Esses pequenos agricultores utilizam técnicas rudimentares e possuem produtividade menor que 1.000 kg/hectare.

O projeto, cujo coordenador técnico é Adriano Nascente, se iniciou em abril de 2016 com a instalação de experimentos para avaliação de cultivares (quatro do Brasil e três variedades locais de Suriname), além de experimentos para avaliar níveis de fertilização com nitrogênio, fósforo e potássio. Após isso, foram instaladas unidades demonstrativas nos municípios de Brokopondo e Atjonie para divulgar os resultados para as comunidades rurais.  

Foram realizados dias de campo e mostrado o potencial produtivo das cultivares com o uso de tecnologias. Todo esse trabalho foi conduzido pela Embrapa Arroz e Feijão com o auxílio da técnica do Ministério da Agricultura do Suriname, Ruby Kromokardi.


Próximos passos
Como próximas ações do projeto, pretende-se implantar quatro unidades demonstrativas em outras localidades para divulgar as técnicas estudadas para um maior número de produtores, será realizado um curso sobre produção de sementes de arroz para auxiliar na melhoria da qualidade das sementes produzidas, além da produção de sementes em 1 hectare, visando a distribuição para os produtores Quilombolas. Em novembro de 2018, o projeto será encerrado com a realização de um seminário para divulgação de todas as ações realizadas.

Rodrigo Peixoto (MTb/GO 1.077)
Embrapa Arroz e Feijão

Telefone: 62 3533-2108

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Galeria de imagens

Encontre mais notícias sobre:

englishsurinameinternacional