12/07/17 |   Agroecologia e produção orgânica

Embrapa participa de Seminário Ecológico divulgando uso da compostagem urbana

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Maria José Tupinambá

Maria José Tupinambá - Pesquisador Nestor Lourenço

Pesquisador Nestor Lourenço

Uma opção de destinação para os resíduos orgânicos, que representam grande parte do lixo produzido nas cidades, é a produção de composto orgânico, que após processado serve para adubar as plantas. Essa informação fez parte da palestra “Compostagem Urbana”, apresentada pelo agrônomo José Nestor Lourenço, pesquisador da Embrapa Amazônia Ocidental, durante o Seminário Ecológico, promovido dia 8 de julho, na área Missionária Sant’ana, localizada no conjunto Hiléia I, Redenção, ligada à Arquidiocese de Manaus, que reuniu agentes pastorais e moradores da comunidade.

Segundo Nestor, o objetivo da compostagem de resíduos sólidos orgânicos é desviar o material que seria destinado à lixeira urbana, para uma finalidade mais útil, capaz de nutrir as plantas e gerar alimentos saudáveis. “Ao jogar sobras de alimentos na lixeira estamos contribuindo para o aumento da imensa pirâmide de lixo que está se formando na lixeira de Manaus”, comparou.

Ele apresentou na palestra modelos de caixas apropriadas para a produção do adubo orgânico, que são formadas por três volumes, encaixados uns nos outros, onde são colocadas as cascas de frutas, folhas, cinza de churrasqueira, frutas e hortaliças estragadas, espinhas de peixe, para serem decompostos e virarem o adubo orgânico. “Todo o dia se pode fazer composto, por que todo dia se descasca uma fruta, uma hortaliça e ao fazer o composto orgânico para adubar a horta, não precisa comprar adubo químico”, comentou.

Durante a palestra várias donas de casa fizeram perguntas e trocaram informações com o pesquisador, que foi convidado pela coordenadora do evento, Valda Araújo, a comparecer em outros eventos para contribuir com a comunidade.

O Seminário Ecológico, segundo dona Valda, foi uma ação da Campanha da Fraternidade, que neste ano apresenta o tema “Biomas Brasileiros: em defesa da Vida” e o lema cultivar e guardar a criação demonstra a preocupação da Igreja Católica em preservar a natureza.

Como o Brasil tem seis biomas: Amazônia, Pantanal, Mata Atlântica, Caatinga, Cerrado e Pampa, os organizadores escolheram o tema Amazônia, que é o bioma desta região para trabalhar entre os jovens da comunidade. Por isso, explica dona Valda, o seminário teve por objetivo despertar o espírito ecológico, chamar a atenção das pessoas sobre o cuidado com o meio ambiente, “onde nós vivemos que é a nossa casa comum”.

Foi  trabalhado com os jovens sobre a importância da fauna, flora, os rios, a questão da poluição, cujos aprendizados foram expostos nos estandes montados no dia do evento.

Para a exposição foram convidadas as nove paróquias que fazem parte da Área Missionária Santana.  Cada uma colaborou com a organização e expôs seus conhecimentos em estandes. Houve ainda a participação do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) com doação de mudas de plantas ornamentais e cartilhas sobre educação ambiental.  

Na abertura do evento, o pároco da Área Missionária Santana, padre Paulo Henrique, falou da importância do tema da Campanha da Fraternidade para a preservação ambiental do planeta.

O evento teve ampla programação, com músicas, comentários, orações que serviram para refletir sobre o tema.

Maria José Tupinambá (114 DRT-AM)
Embrapa Amazônia Ocidental

Telefone: (92) 3303-7898

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Galeria de imagens

Encontre mais notícias sobre:

agricultura orgânica