24/07/17 |   Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação

Plantas medicinais e fitoterápicos são tema de simpósio em Manaus

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Síglia Souza

Síglia Souza - Plantas medicinais

Plantas medicinais

Acontece em Manaus de 9 a 11 de agosto dois eventos que vão discutir vários aspectos relacionados a plantas medicinais reunindo pesquisadores, acadêmicos, profissionais de saúde, professores, pesquisadores e usuários dessas plantas. Será o I Simpósio Municipal de Plantas Medicinais e Fitoterápicos vinculado à III Semana Municipal de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. Interessados em participar podem se inscrever pela internet em https://simposiosemsa.wixsite.com/simposiosemsa. As inscrições ficam abertas até o preenchimento de 320 vagas.

A programação contará com palestras e mesas redondas com a participação de especialistas de diferentes instituições, nacionais e estrangeiras, que abordarão assuntos relacionados ao cultivo, melhoramento, produção, controle de qualidade, biotecnologia e saúde pública, entre outras áreas de investigação.

O simpósio inicia dia 9 de agosto no auditório Senador João Bosco da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), das 17h às 21h. As atividades continuam nos dias 10 e 11 de agosto, das 9h às 18h, no auditório Samaúma da Faculdade de Ciências Agrárias, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

O evento está sendo organizado pela Comissão Executiva da Gerência de Assistência Farmacêutica da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa). As comissões organizadora e científica são compostas por representantes da Prefeitura Municipal de Manaus, da Semsa, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

De acordo com os organizadores, o objetivo é proporcionar a atualização de conhecimentos, com compartilhamento de saberes e valorização dos aspectos culturais locais, de forma a sensibilizar e mobilizar a sociedade para a implementação e manutenção, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) de ações que visem promoção do uso de plantas medicinais e fitoterápicos. E que essas ações ocorram em consonância com as diretrizes da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPICS) e da Política Nacional e do Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos (PPNPMF).

Nesse sentido, foi aprovado neste ano junto ao Ministério da Saúde um projeto voltado para inclusão de plantas medicinais e fitoterápicos no atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Manaus, envolvendo a Prefeitura, por meio da Semsa, a Embrapa Amazônia Ocidental, a Ufam e a Fiocruz do Rio de Janeiro. O projeto terá a duração de dois anos, a partir de 2017, com a possibilidade de prorrogação por mais dois anos, segundo informou a gerente de Assistência Farmacêutica da Semsa-Manaus, Mie Muroya, que integra a coordenação do Simpósio de Plantas Medicinais e Fitoterápicos.  

O projeto de Assistência Farmacêutica em Plantas Medicinais e Fitoterápicos no Município de Manaus será apresentado durante o evento. Entre as várias ações do projeto, as instituições têm alguns papéis definidos e complementares, conforme explicou a gerente, por exemplo, a Embrapa Amazônia Ocidental vai atuar nas ações relacionadas ao cultivo e beneficiamento das plantas medicinais; a Ufam atuará na pesquisa e desenvolvimento de fórmulas para produção de fitoterápicos; a Fiocruz do Rio de Janeiro fica encarregada da capacitação dos profissionais de saúde para prescrição desse tipo de tratamento e a Semsa, na coordenação do projeto, vai vibilizar o recebimento de fitoterápicos industrializados na rede municipal de saúde, assim como a futura inclusão dos medicamentos produzidos por meio da farmácia viva.

O pesquisador da Embrapa Amazônia Ocidental, Francisco Célio Maia Chaves, que também integra a coordenação do Simpósio, destaca que projetos desse tipo demonstram a capacidade instalada nas instituições do estado do Amazonas e permitirá que cada instituição possa contribuir dentro de suas competências. “Para ser oferecido um produto fitoterápico com qualidade, a Embrapa poderá contribuir com conhecimentos para a identificação correta da espécie, o cultivo, beneficiamento, armazenamento seguindo as normas de boas práticas de cultivo”, explica Chaves. “Outros municípios brasileiros já estão com projetos desse tipo em andamento, demonstrando que municípios têm interesse e capacidade para desenvolver projetos dessa envergadura”, ressalta o pesquisador.

O I Simpósio Municipal de Plantas Medicinais e Fitoterápicos é gratuito, aberto a acadêmicos, profissionais de saúde, professores, pesquisadores e demais interessados no conhecimento tradicional e científico sobre plantas medicinais. A programação inclui exposição de trabalhos científicos, concurso de desenho, feira de produtos agroecológicos e apresentações culturais.

Confira a Programação

No dia 9 de Agosto (quarta-feira), as atividades acontecem no auditório Senador João Bosco da Aleam, na av. Mario Ypiranga no bairro Parque Dez. A partir das 17h, podem ser obtidas as credenciais. A mesa de abertura será às 18h e em seguida a Conferência sobre Plantas Medicinais e Fitoterápicos: da tradição à ciência, com início às 19h. A programação nesse dia se estende até 21h.

Nos dias 10 e 11 de Agosto, as atividades serão de 9h às 18h no auditório Samaúma da  Faculdade de Ciências Agrárias da Ufam, na av. General Rodrigo Octavio Jordão Ramos, bairro Coroado.

Na quinta-feira, 10, a programação abre às 9h com palestra sobre a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos e às 10h haverá mesa redonda sobre Medicina Tradicional. Ambas exposições serão seguidas de debates. Às 13h, será feita a apresentação do Projeto de Assistência Farmacêutica em Plantas Medicinais e Fitoterápicos no Município de Manaus, abordando inicialmente o Eixo 1 de Estruturação e funcionamento da Farmácia Viva e Eixo 2 - Cultivo e coleta. Após às 16h30min serão abordados o Eixo 3 – Beneficiamento, Eixo 4 – Dispensação e Eixo 5 – Capacitação. Às 18h o encerramento será feito com apresentação cultural.

Na sexta-feira, 11, às 9h haverá Mesa Redonda com o tema “Inovação em Fitomedicamentos e o trabalho em rede: o caso do portfólio de projetos de inovação em medicamentos da biodiversidade e potenciais na Amazônia”, seguido de debate. Às 11h será a Mesa Redonda com o tema “Desafios relacionados à regulação e à prescrição médica de plantas medicinais e fitoterápicos no Brasil”, também com debates. À tarde, a partir das 13h será apresentada “A experiência de países vizinhos da Bacia Amazônica com fitoterápicos” e às 13h30 a Mesa Redonda discutirá os “Arranjos Produtivos Locais (APLs) - agricultura e indústria no processo da inovação”.

Síglia Souza (MTb 66/AM)
Embrapa Amazônia Ocidental

Telefone: (92) 3303-7852

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

biodiversidadeamazôniaamazonasplantas medicinais