06/10/17 |   Agricultura familiar  Produção animal  Segurança alimentar, nutrição e saúde  Transferência de Tecnologia

Tecnologia digital à disposição da Agricultura

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Francisco Lima

Francisco Lima - Jovens demonstram a renovação do conhecimento e da possibilidade de interatividade entre Agricultura e Tecnologia. DC do Leite apresenta novos aplicativos para vida do produtor.

Jovens demonstram a renovação do conhecimento e da possibilidade de interatividade entre Agricultura e Tecnologia. DC do Leite apresenta novos aplicativos para vida do produtor.

DC do Leite da Embrapa mostra possibilidades de interatividade entre pecuária e informática, tendo à frente  jovens rurais, autores e usuários no campo. Mais de 900 participantes foram divididos em dois turnos para percorrer as estações técnicas.

Bruna Mion, Jorgea Pradieé, Mathias Scherer e Nicholas Araújo não foram apenas personagens em destaque no Dia de Campo (DC) do Leite da Embrapa Clima Temperado, realizado nesta quarta-feira (4/10), durante todo o dia, na Estação Experimental de Terras Baixas, localizada no Capão do Leão (RS). Eles significaram a renovação do conhecimento e da possibilidade de interatividade entre Agricultura e Tecnologia. O evento apresentou três novos aplicativos, que podem ser utilizados pelos produtores, para alavancar o negócio leite. A atividade foi promovida pela Embrapa, Emater/RS e Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). 

Das seis estações técnicas, a metade teve a participação dos jovens bolsistas universitários de graduação ou pós-graduação, que apresentaram ferramentas digitais como facilitadores na gestão das propriedades leiteiras. A ferramenta Roda Reprodutiva, faz um diagnóstico reprodutivo das vacas de forma a calcular as datas importantes nesta fase de desenvolvimento do animal como previsão de secagem, de parto e de retorno ao cio. O aplicativo é usado via celular, com alimentação de dados do produtor. Todos os animais do rebanho leiteiro precisam ser acrescentados neste registro. A ferramenta foi apresentada por Bruna Mion, de 24 anos, e confirmado seu uso na propriedade da família do jovem Mathias Scherer, ambos bolsistas de Medicina Veterinária da UFPel. 

O Pastejando foi o segundo aplicativo mostrado, ainda em teste, mas que será possível baixar via download, em breve, também por celular.  Esse aplicativo é responsável por fazer o planejamento forrageiro numa propriedade, podendo estimar o peso vivo e o consumo mensal de alimento, com base na idade do animal. "Nós temos um acervo de 30 variedades fornecidas pela Embrapa, com curvas de produção dessas forrageiras, possibilitando a quantidade de hectares necessários a serem plantados conforme a necessidade do seu rebanho", explicou Nicholas Araújo, de 20 anos, bolsista da Ciência da Computação da UFPel.

A estação sobre Doenças Reprodutivas também contou com a jovem bolsista de pós doutorado CAPES/Embrapa Jorgea Pradieé, de 36 anos. Ela explicou aos participantes como se dá o ciclo da Neospora caninum, um protozoário que causa principalmente abortos nos bovinos (ovinos, caprinos e equinos são hospedeiros intermediários), sendo que os caninos silvestres, quanto os domésticos, são os hospedeiros definitivos, eles transmitem esses protozoários nas fezes, contaminando pastagens e rações. Há uma estimativa de 30% de casos de aborto na região Noroeste do RS e cerca de 10% de casos na Metade Sul provocados pela Neospora caninum, que ainda não possui tratamento eficaz no Brasil. "O controle deve ser feito com os cuidados para que os cães não tenham contato com os animais, não defequem nas pastagens que servem de alimento para o gado ou próximos das rações. O "cachorro tocador de gado", habitualmente presente nas propriedades rurais, mesmo tomando vermífugos não consegue eliminar o desenvolvimento desta doença, então, ele pode ser sim, um transmissor em potencial", explica Jorgea. Também foram apresentadas outras doenças com igual importância de prevenção e controle como a brucelose, leptospirose, rinotraqueíte infecciosa bovina e diarreia viral bovina.

Diagnóstico Protambo
Outro facilitador apresentado no DC do Leite foi o Protambo, uma ferramenta de planejamento para que o produtor tenha uma visão como um todo do seu sistema de produção. Ela faz um diagnóstico de Boas Práticas Agropecuárias (BPAs) na produção leiteira - tema central do Dia de Campo neste edição - onde produtores e técnicos podem tomar decisões baseadas nas práticas adotadas nas propriedades, com o propósito de alcançar melhores níveis de qualidade e eficiência na produção leiteira. Ela contempla indicadores objetivos e demonstráveis que permitem avaliar a adoção de boas práticas em sistemas de produção leiteira, tomando por base referências internacionais de qualidade. Os indicadores são informações/ações ou situações que podem ser conhecidas a partir de entrevista, inspeção direta e exame/teste. 

Segundo o analista de Transferência de Tecnologias, Rogério Dereti, doutor em zootecnia e coordenador do Núcleo Sul Avançado do Leite e também coordenador do DC do Leite, não havia uma diagnóstico como se propõe a ferramenta do Protambo. "O técnico coloca ordem nas práticas a serem realizadas nas propriedades leiteiras e dá as prioridades, conforme a necessidade de cada estabelecimento, mantendo um diálogo com o produtor. O produtor é quem vai decidir junto com o técnico", fala Dereti. A tecnologia foi aplicada em 62 propriedades de seis diferentes regiões do estado do Rio Grande do Sul. 

Cultivar BRS Integração
Outro destaque no DC do Leite foi a apresentação da cultivar de azevém BRS Integração, lançada neste ano, na Expointer. Ela foi desenvolvida pelo Programa de Melhoramento de Azevém da Embrapa, no âmbito da parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e a Associação Sul-Brasileira para o Fomento e a Pesquisa de Forrageiras (Sulpasto). A pesquisadora Andréa Mitellmann falou sobre as suas características e explicou como se dá o seu manejo a campo. A BRS Integração possui bom vigor, com rápido estabelecimento da pastagem; excelente capacidade de rebrote; alta produtividade de forragem e ciclo mais curto que as demais cultivares disponíveis no mercado.

O acadêmico de Medicina Veterinária da UFPel e técnico agrícola Gabriel Weizenmann Fernandes confirmou que levou para casa de conhecimento do DC do Leite, foi ser apresentado a essa nova cultivar. Acompanhe a sua impressão sobre o material da Embrapa neste link

O DC do Leite teve também um momento de acolhida aos participantes com a presença e fala do chefe-geral da Unidade de pesquisas, Clenio Pillon, do deputado estadual Zé Nunes, do coordenador do evento, Rogério Dereti e da representante do Escritório Rregional da Emater/RS, Mara Saafeldt. Prestigiaram o evento o representante do Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Estado do Rio Grande do Sul (Sindilat), Jones Raguzoni, o presidente da Associação das Pequenas Indústrias de Laticínios do Rio Grande do Sul (APIL), Wlademir Pedro Dall'Bosco e o diretor superintendente do Sebrae/RS, Derly Fialho.

Foram mostradas seis estações técnicas, incluindo também as temáticas da Qualidade do Leite:CCS e CBT e a Vitrine de Forrgeiras da Embrapa. O público foi dividido em duas etapas: pela parte da manhã, estudantes técnicos e universitários; e à tarde, produtores rurais e profissionais.

Cristiane Betemps (MTb 7418/RS)
Embrapa Clima Temperado

Telefone: (053) 3275-8215

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Galeria de imagens