11/11/17 |   Produção vegetal

SemiáridoShow: Embrapa recomenda cultivar de pomelo para plantio irrigado

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Débora Bastos

Débora Bastos -

A cultivar, de origem norte americana e de nome 'Flame', tem sido avaliada em áreas experimentais da Embrapa desde 1996. Em condições irrigadas e num espaçamento de 6,00 m x 4,00 m, alcança produções que variam entre 35 e 40 toneladas/hectare de frutos arredondados com peso em torno de 350g, casca lisa com uma coloração rosada intenso e polpa avermelhada.

A recomendação dessa espécie de citros também conhecida como “grapefruit” é resultado de estudos que envolveram pesquisadores de duas Unidades - a Embrapa Semiárido, em Petrolina (PE), e a Embrapa Mandioca e Fruticultura, Cruz das Almas (BA) – com o objetivo de ampliar as alternativas para diversificação da fruticultura no Semiárido.

De acordo com a engenheira agrônoma Débora Costa Bastos, uma das coordenadoras da pesquisa, a viabilidade técnica do plantio comercial dessa cultivar se deu no contexto de avaliações de várias espécies de citros (laranjas, limões, limas, tangerinas e pomelos) nas condições irrigadas e ambientais do Submédio do Vale do São Francisco.

O pomelo ainda é pouco plantado e conhecido no país. No mercado interno costuma aparecer entre os meses de maio a agosto. O sabor ácido e ligeiramente amargo faz com o seu destino seja o processamento nas indústrias de sucos, geleias, doces e cosméticos. É o caso, por exemplo, das safras colhidas no Rio Grande do Sul (RS): os frutos praticamente não tem consumo in natura. 
Situação inversa acontece nos mercados da China, Estados Unidos, México, África do Sul, Turquia e Israel, onde parte expressiva da comercialização é para o consumo in natura.

“Os frutos são de excelente qualidade: alcançam teor de sólidos solúveis totais em torno de 12,2%, a acidez total titulável 1,45 e a relação entre eles é de 8,41”, afirma a pesquisadora. Além disso, conforme estudos, apresenta propriedades medicinais relacionadas a perda de peso e a prevenção de doenças ligadas a circulação.

O pomeleiro 'Flame' é intolerante ao vírus da tristeza de citros (VTC). Contudo, nas condições do Vale, as plantas apresentam “vigor extraordinário, independente da severidade dos sintomas”. Para evitar a gomose recomenda-se o uso de porta-enxertos resistentes, como o Trifoliata e seus híbridos. 

Para Débora Bastos, a recomendação do pomelo 'Flame' oferece aos agricultores e empreendedores da região outra opção de cultivo com potencial para alcançar mercados consumidores importantes.

Outro integrante da equipe de pesquisadores, Marcelo Calgaro, da Embrapa Semiárido, garante que diferente de outras regiões do país, no Vale do São Francisco não tem grande incidência de pragas ou doenças que afetem o seu desenvolvimento.

As condições de solo e clima da região fazem com que a fruta produzida aqui se destaque com relação a coloração e teor de açúcar.

O ato de recomendação da cultivar foi acompanhado por produtores, engenheiros agrônomos e estudantes. O próximo passo da equipe de pesquisadores é publicar uma instrução técnica com as informações detalhadas sobre esse pomelo. 

Marcelino Ribeiro (MTb/BA 1127)
Embrapa Semiárido

label-contato-imprensa

Telefone: (87) 3866 3734

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

semiaridoshowsemiaridoshow2017