28/11/17 |   Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação

Evento estimula a integração de estudantes e discute os rumos da pós-graduação na região

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Organização

Organização -

Entre os dias 21 e 22 de novembro aconteceu a II Jornada de Integração da Pós-Graduação da Embrapa Semiárido (JIPES). O evento reuniu estudantes de mestrado e doutorado que desenvolvem projetos de teses e dissertações na empresa, com o objetivo de divulgar os trabalhos dos quais participam, compartilhar ideias e promover a interação com os demais estudantes.

A programação de abertura contou com a participação do Pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Jackson Roberto Guedes da Silva Almeida, que ministrou a palestra “Pós-graduação: oportunidades, desafios e visão de futuro”.

O palestrante destacou a importância de uma avaliação conjunta envolvendo professores e alunos para discutir os rumos da pós-graduação na região. “As bolsas de pós-graduação têm um impacto muito grande na economia local, só a Univasf recebe um milhão de reais que circula anualmente na região e custeia despesas com alimentação, aluguel, roupa e transporte de estudantes impulsionando a economia”, conta.

Além disso, ele apresentou um balanço geral de distribuição e avaliação de programas de pós-graduação por região do país em 2017, onde o Nordeste aparece com cerca de 20% dos programas. Segundo ele, apesar dos cortes orçamentários impostos no início do ano, os investimentos para esses programas se mantêm intactos.

Já o Chefe Adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Semiárido, Flávio de França Souza, ressaltou o valor da parceria da empresa com as instituições de ensino e da realização de encontros como esse. “Os alunos de pós-graduação chegam para aumentar a produtividade na empresa e eu acredito que para as Universidade tenha sido produtivo também. Esse evento é o momento de saber o que cada um está fazendo em seu laboratório, em sua área de pesquisa e compartilhar os trabalhos”, afirma.

Pesquisas – Durante a Jornada, foram apresentados mais de 40 resumos divididos em 9 áreas de conhecimento: Recursos Naturais e Biodiversidade, Diversificação de frutíferas, Vitivinicultura, Produção Animal, Sistemas Agrícolas Dependentes de Chuva, Tecnologia de Bioprocessos, Olericultura, Mangicultura e Sistemas Agrícolas Dependentes de Chuva (Manejo).

Entre eles estava o da estudante de mestrado da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Renata Torres dos Santos e Santos. Ela apresentou o trabalho “Caracterização físico-química de doce de umbu em massa e aceitação pelos consumidores”, orientado pela pesquisadora da Embrapa Semiárido Aline Telles Biasoto Marques, que visa uniformizar a quantidade de açúcar e a firmeza do doce de umbu testando a receptividade do público com diferentes formas da iguaria.

Para Renata, a padronização do produto pode ajudar as cooperativas a estabelecerem suas marcas e dessa forma o doce pode ultrapassar as fronteiras e ser comercializado em outras regiões do país com maior facilidade. “O processamento é feito, mas não há padronização dos doces ofertados porque não há uma legislação que determine a quantidade de acidez e firmeza do produto. Isso dificulta a abrangência desse mercado, pois o doce que o consumidor comprar nem sempre terá o mesmo sabor”, explica.

Premiação - Os trabalhos que se destacaram durante a Jornada receberam premiações, a partir do parecer da comissão avaliadora, que utilizou critérios como a importância estratégica do tema, metodologia, utilização dos recursos visuais (figuras, tabelas, esquemas, animações), qualidade dos resultados obtidos, domínio do tema e clareza da apresentação.

O trabalho “Influência da correção do pH do mosto e vinho utilizando diferentes ácidos orgânicos sobre a qualidade de vinhos tintos do Vale do Submédio São Francisco” desenvolvido pela bolsista  Erika Samantha Santos de Carvalho com a orientação da pesquisadora Aline Telles Biasoto Marques,  recebeu 1° lugar  na avaliação da banca. Já o trabalho “Produção de cebola Cv. Predileta, submetida a diferentes temperaturas e concentrações de CO2”, da bolsista Juliane Rafaele Alves Barros e orientado pela pesquisadora Francislene Angelotti foi contemplado com o 2° lugar.

Ficaram empatados em 3° lugar os trabalhos “Efeito da chuva e temperatura na variabilidade do tamanho de sementes de Anadenanthera colubrina”, realizado pela bolsista Samara Elizabeth Vieira Gomes sob a orientação da pesquisadora Bárbara França Dantas; “Diversidade genética de bactérias isoladas de nódulos de feijão-caupi cultivados em solos do Semiárido baiano com diferentes sistemas de usos de terra”, da bolsista Pâmella Thalita Souza Sena, orientanda do pesquisador Paulo Ivan Fernandes Júnior; e “Análise de entropia em acessos de mangueira do Banco Ativo de Germoplasma da Embrapa Semiárido”, desenvolvido pela bolsista Emille Mayara de Carvalho Souza, com orientação do pesquisador Francisco Pinheiro Lima Neto.

O evento - Na sua segunda edição, A Jornada de Integração da Pós-graduação da Embrapa Semiárido contou com a parceira dos professores Rodolfo Peixoto, do Intituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE), Adailson Feitoza de Jesus Santos, da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e Marcelo do Nascimento Araújo, Pós-Doutorando pela Capes/Embrapa, que formaram a banca avaliadora.

Nesta edição, a Comissão Organizadora da foi composta pelos pesquisadores da Embrapa Semiárido Diana Signor Deon, Francislene Angelotti, Natoniel Franklin de Melo, Sérgio Tonetto de Freitas e Tadeu Vinhas Voltolini. Contou, ainda, com o apoio dos colaboradores Francisco de Assis Gomes Rocha, Lúcia Helena Piedade Kiill, Nivaldo Torres Santos e Sidinei Anunciação Silva.

Maria Eduarda Abreu
Embrapa Semiárido

Fernanda Birolo (MTb/AC 81)
Embrapa Semiárido

Telefone: (87) 3866 - 3734

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/