05/12/17 |   Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação

Ambiente, planejamento e produção devem nortear a pesquisa agropecuária

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Carlos Dias

Carlos Dias - O muro, pintado com tinta de solo, cerca a horta e a área de compostagem

O muro, pintado com tinta de solo, cerca a horta e a área de compostagem

O Dia Mundial do Solo, 05 de dezembro, foi celebrado pela Embrapa Solos (Rio de Janeiro-RJ) com uma série de eventos no centro de pesquisa.

Abrindo os trabalhos, o chefe geral, Daniel Vidal Perez, lembrou que ambiente, planejamento e produção devem ser as três linhas básicas da pesquisa na Embrapa Solos. E essas palavras fazem parte do trabalho em equipe que levou o centro de pesquisa a finalizar uma nova versão do mapa de carbono orgânico dos solos brasileiros na profundidade de 0-30 cm, lançado no dia 05. O mapa une modelagem matemática e conhecimentos levantados em campo para ajudar em diversos programas de conservação de recursos naturais. Um dos beneficiários imediatos será o Programa Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (ABC). “O carbono do solo é uma propriedade vital, que está relacionada com emissão de gases de efeito estufa, mitigação do aquecimento global e fertilidade do solo. Além disso, é uma propriedade guarda-chuva, que transmite informação sobre a qualidade do solo em geral, incluindo dados sobre a química, física e biologia da terra”, conta o pesquisador da Embrapa Solos Gustavo Vasques. Uma das informações mais importantes é o estoque total de carbono do solo a 0-30 cm do Brasil, que seria 36,3 Pg, sendo que 1 Pg (petagrama) = 1 bilhão de toneladas.

O Sistema Brasileiro de Classificação do Solo é um dos orgulhos da casa. Coube ao pesquisador Humberto Gonçalves dos Santos apresentá-lo quando celebramos 20 anos do lançamento da primeira versão completa do Sistema. Sabendo o tipo do solo, conhecemos várias informações a respeito dele. Existe uma relação direta com o crescimento da planta; sobre onde devemos ou não, por exemplo, construir uma estrada ou um aterro sanitário. Quando sabemos seu tipo o associamos a um pacote de informações sobre a química, física e mineralogia desta terra. Isso é fundamental para o correto manejo e a conservação desse solo.

Contando um pouco mais de história, foi exibido um vídeo com a linha do tempo da atuação da Embrapa Solos, entre 1918 e 2017

Pronasolos

O momento mais esperado da manhã foi a transmissão, via videoconferência, da sede da Embrapa, em Brasília, da assinatura do protocolo de intenções do Programa Nacional de Solos do Brasil (Pronasolos), o maior empreendimento técnico-científico brasileiro da área de solos. 20 instituições assinaram  o documento, para realizar o maior levantamento pedológico já executado no Brasil. Um trabalho a ser feito ao longo dos próximos 30 anos e orçado, nos dez primeiros anos, em cerca de R$740 milhões.

Compostagem, horta e muro colorido

Uma boa notícia para o cotidiano dos empregados foi a inauguração da horta e do espaço para compostagem na Embrapa Solos. Além de atender aos visitantes do Embrapa & Escola, o espaço receberá, duas vezes por semana, o resíduo doméstico orgânico dos funcionários. No fim do mês cada colaborador vai receber um quilo do composto, produzido em leiras estáticas por aeração passiva. “50% dos resíduos dos aterros sanitários são orgânicos. Entre janeiro e agosto de 2017, aproveitando apenas os restos do café da manhã dos empregados e as folhas varridas, produzimos 4.200 litros de composto”, conta o pesquisador da Embrapa Solos Claudio Capeche, empolgado com a nova fase do projeto.

Já a horta conta com gengibre, hortelã, penicilina, sálvia e tomilho, entre outros produtos.

Para enfeitar a horta e o espaço de compostagem foi pintado um muro do centro de pesquisa utilizando a tinta de solo.

Carlos Dias (20.395 MTb RJ)
Embrapa Solos

Telefone: (21) 2179-4578

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

dia mundial do solo