30/01/18 |   Produção animal

Novas cultivares de Panicum, desenvolvidas pela Embrapa para rebanhos de corte, têm bons resultados na pecuária de leite

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Divulgação NCO

Divulgação NCO - Pastejo de BRS Zuri

Pastejo de BRS Zuri

Pesquisadores da Embrapa Gado de Leite vêm testando, em rebanhos leiteiros, duas cultivares de gramíneas da espécie Panicum maximum desenvolvidas pela Embrapa Gado de Corte: a BRS Quênia e a BRS Zuri. As cultivares estão sendo submetidas às condições de pastejo rotacionado na Região da Mata Atlântica, em Minas Gerais. Segundo o pesquisador Carlos Augusto Gomide, ambas apresentaram bom potencial para a produção de leite, podendo suportar de nove a 11 vacas em um hectare.

“A gramínea permite a produção de 13 a 15 litros de leite por dia em um rebanho de vacas mestiças, com a adição de quatro quilos de ração concentrada por vaca”, diz Gomide. Essa produção foi obtida durante o período chuvoso, que na Região Sudeste e Centro-oeste ocorre de novembro a março. As gramíneas necessitam de uma boa adubação. Além da incorporação de fósforo e potássio, de acordo com a análise do solo, são necessários de 350 a 400 quilos de nitrogênio para a boa recuperação do pasto após o pastejo.

O pesquisador diz que a adubação adotada tem sido equivalente a 50kg de nitrogênio por hectare após a saída das vacas do piquete. “Com essa adubação e condições favoráveis de chuva, o período de descanso dos piquetes é de 15 a 18 dias, o que resulta numa redução da área de pasto necessária para o manejo do rebanho e, consequentemente, no aumento da produção por área”, afirma Gomide.

Veja algumas das características das cultivares:

- Quênia - De porte intermediário e fácil manejo, a cultivar híbrida BRS Quênia, lançada em 2017, possui folhas macias e colmos tenros, oferecendo uma forragem de alta qualidade. É recomendada para o cultivo em solos de média e alta fertilidade, exigindo precipitação mínima de 800 mm em períodos de, no máximo, seis meses, não apresentando resistência a solos encharcados.

- Zuri - Lançada em 2015, a cultivar BRS Zuri possui maior grau de resistência ao fungo Bipolaris maydis, além de resistência mediana à carie-do-sino, causada por Tilletia ayresii, o que pode comprometer a produção de sementes em condições ambientais favoráveis à doença. Suas principais características são a elevada produção e o alto valor nutritivo, além da resistência à cigarrinha-das-pastagens.

Dinapec – A Embrapa Gado de Leite irá apresentar os resultados dos testes realizados com as duas cultivares durante a 13ª edição da Dinapec (Dinâmica Agropecuária), que ocorre entre os dias sete e nove de março, em Campo Grande – MS. O evento deste ano tem como tema central “Agropecuária de Baixo Carbono”. A Dinapec acontece na Avenida Rádio Maia, 830, zona rural, saída para Aquidauana. O evento é uma realização da Embrapa, em parceria com a Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul) e tem o apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MS), da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural de MS (Agraer), da Agência Estadual de Defesa Sanitária e Vegetal (Iagro/MS), das Fundações MS e Chapadão e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MS).

Rubens Neiva (MTB 5445)
Embrapa Gado de Leite

label-contato-imprensa

Telefone: (32) 3311-7532

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

brs zuribrs quêniadinapec