06/02/18 |   Transferência de Tecnologia

Projetos para melhorar o semiárido do Piauí

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Eugênia Ribeiro

Eugênia Ribeiro - O encontro reuniu representantes de bancos e instituições de ensino, pesquisa e organizações não-governamentais.

O encontro reuniu representantes de bancos e instituições de ensino, pesquisa e organizações não-governamentais.

A Embrapa Meio-Norte quer melhorar o perfil sócio econômico da agropecuária no semiárido do Piauí. Oito projetos  foram apresentados nesta terça-feira 06, pela manhã, a agentes financeiros e representantes de instituições de ensino, pesquisa, agropecuária e de ONGs, no primeiro encontro do programa Aliança para Inovação Agropecuária na Região Meio-Norte em 2018.

Um arranjo tecnológico com sete projetos focando as áreas de ovinocaprinocultura, fruticultura, recursos naturais e manejo de sólo e água, foi o primeiro a ser apresentado no encontro. O pesquisador Henrique Antunes detalhou cada projeto, dando ênfase aos planos de ação, cujo objetivo é alcançar os 185 municípios piauienses que estão no semiárido,  ocupando uma área com mais de 200 mil quilômetros quadrados,  segundo a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

O arranjo, que ganhou o nome de Desenvolvimento Regional e Inovação Tecnológica para a Sustentabilidade do Semiárido Piauiense, é para ser conduzido em cinco anos com um orçamento de R$ 14,5 milhões. Se a ideia for aceita e receba financiamento, são esperados como resultados a conservação e recuperação do solo, água e recursos naturais; aumento e estabilidade da produção agropecuária; diversificação de produtos; aumento da renda; adoção de tecnologias; e a criação de uma rede de experimentadores.

Na segunda apresentação, o pesquisador Valdemício Ferreira mirou nos polos de fruticultura dos distritos irrigados Platôs de Guadalupe, Tabuleiros Litorâneos, Projeto Marreca-Jenipapo e Alto Canindé-Barragem Joaquim Mendes. Com foco na transferência de tecnologias e inovação, o projeto prevê a instalação de unidades demonstrativas de banana, goiaba, acerola, maracujá e uva nos municípios de Guadalupe, Parnaíba, São João do Piauí e Conceição do Canindé.

Estruturado para ser desenvolvido também em cinco anos, a ação tem um orçamento de R$ 5 milhões. Se os agentes financeiros abraçarem o projeto, serão instaladas unidades de referências tecnológicas e de produção em conjunto com os agricultores. Todos os polos de fruticultura contemplados receberão então ajustes na produção com inovações tecnológicas, segundo Ferreira.

O encontro foi aberto às 8:30 horas, na sede da Embrapa Meio-Norte, em Teresina, pelo pesquisador Luiz Fernando Leite, chefe geral da Unidade. Participaram do evento representantes da Universidade Estadual do Piauí, Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Federação dos Trabalhadores na Agricultura, Instituto Federal de Educação, Ministério da Agricultura, Abastecimento e Pecuária, Cáritas, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí e de parlamentares.

 

Fernando Sinimbu (654 MTb/PI)
Embrapa Meio-Norte

Telefone: (86) 3198-0518

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

fruticulturasemiáridosoloságua