08/03/18 |   Transferência de Tecnologia

Discussões sobre pecuária sustentável marcam abertura da Dinapec

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Rodrigo Alva

Rodrigo Alva - Mesa redonda

Mesa redonda "Agropecuária de baixo carbono"

O primeiro dia de Dinâmica Agropecuária (Dinapec) na Embrapa em Campo Grande (MS) foi marcado pelos painéis sobre agropecuária de baixo carbono e pecuária sustentável, além dos tradicionais roteiros tecnológicos e oficinas práticas. A Dinapec segue até sexta-feira, 9, na Capital.

Em mesa redonda sobre baixo carbono, o pesquisador Eduardo Assad buscou minimizar os ruídos ao redor da produção pecuária nacional. Membro do comitê científico do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas, ele apresentou dados nos quais é possível produzir um bovino de corte com 20 arrobas, em 16 meses emitindo duas vezes menos metano, um dos gases de efeito estufa (GEE) (CH4). 

“A pecuária é a grande emissora de metano. Sim, ela é se feita em pasto de má qualidade. Quando o animal está em pasto saudável há um equilíbrio entre esse metano emitido e o carbono que é retirado do pasto. Ao se calcular esse balanço, ele é positivo”, afirma o engenheiro agrícola. 

Dados da Embrapa (Rio de Janeiro) mostram que em pastagem degradada de braquiária o ganho de peso vivo (g/cab/dia) foi de 137 com emissão total de GEEs de 32,3 (kg CO2 equiv). Já em pastagem manejada, o ganho vai para 191,8 e a emissão cai para 17,2. Em consórcio, por exemplo, os números saltam mais. O ganho é de 364 e a emissão, 9,8. 

Para se obter um saldo positivo, Assad recomenda a recuperação correta da pastagem e a adoção de sistemas integrados. Posturas complementares também testadas e aprimoradas em experimentos de pesquisa. Um deles está em andamento há mais de 20 anos na Embrapa em Campo Grande (MS), sob a responsabilidade do pesquisador Manuel Motta Macedo e outro, mais recente, em parceria com a Fundação MS. Macedo participou da mesa redonda ao lado de Assad, Alex Melotto (Fundação MS) e Willian Marchió (Rede de Fomento ILPF). 

Entre os benefícios apontados por Macedo para o solo estão o aumento no estoque de carbono, melhorias na qualidade do solo e disponibilidade de água, recurso escasso em diversas localidades. Marchió complementa que a tecnologia, a princípio, precisa ser rentável e os sistemas integrados reúnem a sustentabilidade econômica, ambiental e social. “O produtor presta serviços ambientais e mantém seu negócio. O efeito irradiador é enorme”. 

Para incentivar a adoção desses sistemas de produção tem-se o Plano ABC – Agricultura de Baixa Emissão de Carbono que tem por finalidade incentivar a adoção de tecnologias de produção sustentáveis, como Integração Lavoura-Pecuária-Floresta, Sistema Plantio Direto (SPD) e Fixação Biológica de Nitrogênio (FBN), mencionado por Assad.  

Políticas públicas colaboram, mas também a “difusão por inveja” como define Melotto. “Um produtor começa o sistema em sua propriedade. É uma construção gradativa, que exige persistência e com o passar do tempo a tecnologia mostra seu potencial. Um produtor satisfeito impulsiona outros”. 

Pecuária Sustentável - Durante este primeiro dia, o Painel “Pecuária de Corte Sustentável: o que é bom tem que durar” foi outro momento de discussão e reuniu na tenda principal da Dinapec, produtores, pesquisadores e membros de instituições governamentais e representativas. 

Moderado pelo especialista da Embrapa Sérgio Raposo, o encontro apresentou iniciativas que preconizam a sustentabilidade, como o Programa de Boas Práticas Agropecuárias (BPA) - bovinos de corte, presente em Estados como Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Paraná e Pará; e o Precoce MS, programa estadual focado em estimular o bovinocultor de corte a obter um produto adequado a práticas de bem-estar animal e em consonância com legislações ambientais, fiscais, trabalhistas e sanitárias. 

Abertura - O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária (CNA), João Martins da Silva Júnior; os secretários de Estado de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel e Jaime Verruck; o reitor da Universidade de Mato Grosso do Sul, Marcelo Turine; o superintendente da Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de MS (SFA/MS), Celso de Souza Martins; e o diretor-executivo de Inovação e Tecnologia da Embrapa, Cleber Oliveira Soares estavam entre as autoridades presentes na abertura da Dinâmica. 

Ao recepcionar os participantes, Ronney Mamede, chefe-geral interino da Embrapa Gado de Corte, mostrou detalhes da programação da feira, com as tecnologias voltadas à diversificação e intensificação dos sistemas agropecuários. “Como era esperado, em 2017, o Agro obteve lugar de destaque, alavancando o crescimento econômico do País para 1%, após dois anos de retração. A agropecuária de baixo carbono é uma nova realidade e uma oportunidade para fortalecer o setor nacional e internacionalmente”, destacou o administrador.  

Sobre a Dinapec 2018

A realização da Dinâmica Agropecuária tem o apoio das seguintes instituições: Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (IAGRO), Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (SEDESC), Fundo para o Desenvolvimento das Culturas de Milho e Soja de MS (FUNDEMS), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Fundação MS, Fundação Chapadão, Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária e Ambiental (Fundapam), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR/MS), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Rede ILPF, Geneplus, Tramasul, Coimma, Companhia Nacional de Nutrição Animal (Connan), CEPTIS, Sistema Brasileiro do Agronegócio e DBO. O patrocínio é da Associação para o Fomento à Pesquisa de Melhoramento de Forrageiras (Unipasto), do Banco do Brasil e do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com realização da Embrapa e Sistema Famasul.

A Dinapec é uma vitrine de tecnologias que acontece anualmente na Embrapa Gado de Corte em Campo Grande (MS), aberta a técnicos, produtores e acadêmicos dispostos a conhecer as soluções tecnológicas desenvolvidas pela pesquisa agropecuária para os diversos sistemas de produção. O encontro visa compartilhar conhecimento e soluções para o agro nacional.

Fotos no Canal Embrapa no Flickr.

 

dalizia montenario de aguiar (MTb 28/03/14/MS)
Embrapa Gado de Corte

Telefone: +55 67 3368-2144

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Galeria de imagens