12/03/18 |   Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação

Exposição de produtos Embrapa apresenta adoção de VANT como ferramenta de economia no uso de Nitrogênio

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Divulgação

Divulgação -

A ExpoTec 2018, mostra agropecuária realizada pela Embrapa Arroz e Feijão, que apresenta ao público as tecnologias desenvolvidas pela Empresa voltadas para a Agricultura e Pecuária no Estado de Goiás, terá no primeiro dia a mostra das pesquisas dedicadas à agricultura. Uma das estações da exposição será “Sensores e Drones no manejo da adubação nitrogenada em grãos”. O uso dos Veículos Aéreos Não Tripulados (VANT), os chamados Drones, nesse caso, visa à realização do monitoramento da lavoura, para identificação do momento ou estádio fenológico em que as planas mais precisam de nitrogênio (N). O tema será abordado pelos pesquisadores Gustavo Castoldi (IFGoiano), Mellissa Soler (Embrapa Arroz e Feijão), e Riner Flores e Virgínia Damin (UFG).

O procedimento se dá pela acoplagem dos equipamentos fotográficos aos dispositivos, sobrevoando e produzindo diversas imagens aéreas da lavoura, que serão unidas posteriormente, para melhor análise do material. Ondas eletromagnéticas, tais como a luz solar, podem ser refletidas, absorvidas ou transmitidas pelas plantas, e os sensores embarcados nos drones são capazes de capturar justamente a intensidade com que determinados comprimentos de onda são refletidos pelo dossel das plantas, o que podemos chamar de resposta espectral. Plantas saudáveis absorvem mais a luz visível do que plantas acometidas por algum tipo estres, seja ele biótico ou abiótico, em que nesta condição refletem mais a luz na faixa do infravermelho. Por outro lado, plantas estressadas são menos eficientes para fotossíntese, refletindo mais a luz visível - na agricultura, os sensores mais usuais são do tipo RGB ou multiespectrais. São câmeras comuns, capazes de identificar a reflectância na faixa do verde, vermelho e azul. 

Do conjunto de fotos capturadas pelos drones é possível identificar, pela diferença na coloração da lavoura, locais onde podem estar ocorrendo déficit de nitrogênio. Assim, a utilização desses equipamentos, associados aos resultados da análise de solo, subsidiarão o produtor com informações técnicas necessárias para tomada de decisão quanto ao momento e a dose ideais de aplicação do fertilizante nitrogenado em cobertura, assim como, realizar a adubação somente nos locais onde realmente existe a necessidade. O fornecimento correto do fertilizante nitrogenado proporcionará maior eficiência no uso deste pelas plantas e poderá ainda reduzir os custos de produção, assim como, as perdas e o risco de contaminação ambiental por lixiviação (infiltração da água no perfil do solo, carreando o N para o lençol freático) ou por volatilização (perda do nitrogênio na forma de gás para a atmosfera).

Começando no dia 15 de março, às 8h, a ExpoTec 2018 é aberta ao público e as inscrições podem ser feitas na hora. Em sua quarta edição consecutiva, a exposição de tecnologias Embrapa tem como parceiros as empresas: Ikeda, Total Biotecnologia, a associação Unipasto e o sistema Senar/FAEG. O evento espera contar com mais de mil participantes. Para mais informações, telefone (62) 3533-2123/ 2107, e-mail: arroz-e-feijao.eventos@embrapa.br.

Henrique de Oliveira (MTb/GO 1.960)
Embrapa Arroz e Feijão

Contatos para a imprensa

Telefone: (62) 3533-2108

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

expotec 2018