02/08/18 |   Transferência de Tecnologia

Potencial da criação de abelhas é tema de palestra na Expofeira, em Tomé-Açu

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Vinicius Braga

Vinicius Braga - Pesquisador Daniel Pereira apresenta caixas de abelhas sem ferrão

Pesquisador Daniel Pereira apresenta caixas de abelhas sem ferrão

A região amazônica possui grande potencialidade para desenvolver tanto a apicultura quanto a meliponicultura (criação de abelhas sem ferrão). Essa foi a principal mensagem do pesquisador Daniel Pereira em palestra proferida nessa terça-feira (31) como parte da programação da Embrapa Amazônia Oriental na 34ª Expofeira, em Tomé-Açu (PA).

De acordo com Pereira, o Pará oferece uma safra de até seis meses para a apicultura. “E isso justamente no período de entressafra das demais regiões do país, que ocorre no segundo semestre”, afirma. Como resultado, a produtividade média pode alcançar o dobro das demais regiões do país, alcançando 30 quilos por caixa.   

A criação de abelhas nativas sem ferrão também se apresenta como atividade promissora na região, segundo o pesquisador. “Das 477 espécies de abelhas sem ferrão conhecidas no mundo, o Pará abriga 110”, disse. De acordo com o palestrante, essa diversidade pode ser aproveitada tanto para melhorar a polinização das culturas agrícolas quanto na comercialização de produtos como mel, própolis e pólen.

Presente no evento, o técnico agrícola Fernando Moreira trabalha com doze caixas de abelhas africanizadas (com ferrão) e apontou como principal limitador da atividade na região a baixa organização dos produtores. Já Adailton Mendes, presidente de uma associação de agricultores, tem interesse pela meliponicultura e pretende propor a atividade na sua comunidade. “Com uma produção organizada e em maior quantidade, certamente vamos encontrar empresas interessadas na comercialização”, previu.  

Programação – Até sexta-feira (3), sempre pela manhã, pesquisadores vão estar presente no estande da Embrapa na Expofeira para conversar com agricultores e tirar dúvidas com agricultores e  técnicos. Nessa quarta-feira (1º), o bate-papo com os pesquisadores Osvaldo Kato e Rui Gomes reuniu um público de 20 pessoas.

Além dessas atrações, o estande da Embapa na Expofeira também apresenta informações sobre enxertia de mudas, substituição de copa de cupuaçuzeiro e sobre a tecnologia de produção de mudas in vitro, com exemplares das cultivares de banana Pacoua e de pimenta-do-reino Iaçará e Guajarina.  

 

Rodas de conversa no estande da Embrapa

  • 2/08 (quinta-feira) das 8h30 às 12h

Cultivo do cupuaçu e substituição de copa, com o pesquisador Rafael Moysés Alves
 

  • 3/08 (sexta-feira) das 8h30 às 12h

Cultivo da pimenta-do-reino, com os pesquisadores Oriel Filgueira de Lemos e Sonia Maria Botelho de Araújo

 

Vinicius Soares Braga (MTb 12.416/RS)
Embrapa Amazônia Oriental

Contatos para a imprensa

Telefone: (91) 3204-1192

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Galeria de imagens

Encontre mais notícias sobre:

tomé-açuexpofeira