10/08/18 |   Segurança alimentar, nutrição e saúde  Transferência de Tecnologia

Terceira reunião do Comitê Gestor da PIMo-SP discute novas ações

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Sandro Pereira

Sandro Pereira - Keiji Nakashima do Orquidário Takebayashi.

Keiji Nakashima do Orquidário Takebayashi.

O Comitê Gestor da Produção Integrada de Morango (PIMo-SP) se reuniu no final de julho, no Parque Duílio Maziero, em Atibaia, SP, para discutir as ações desenvolvidas e analisar o resultado das auditorias de certificação da PIMo-SP safra 2018.

Fagoni Calegario, pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP) e coordenadora do Programa PIMo SP desde 2006, comemorou o fato do município de Piedade ter passado por sua primeira auditoria de certificação. Além do pioneirismo técnico, houve uma articulação política exemplar, onde a Prefeitura de Atibaia deu suporte à Prefeitura de Piedade após a manifestação de interesse dos produtores em pleitear a certificação.

No momento, o grupo de produtores aguarda o resultado das análises de resíduos de agrotóxicos e das análises microbiológicas realizadas em amostras de morango coletadas durante a auditoria. "Se os resultados apresentados estiverem dentro da conformidade, em breve teremos a produção de morangos com o selo Brasil Certificado, chancelado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO) em Atibaia e pela primeira vez em Piedade, SP", diz a pesquisadora.

Keiji Nakashima do Orquidário Takebayashi, e um dos novos produtores da PIMo a receber auditoria, apresentou a palestra "Inovando com o turismo rural na propriedade". Ele e sua esposa Sandra produzem orquídeas e morango semi-hidropônico em Atibaia e recebem os turistas que agendam horário para visitar a propriedade, conhecer os sistemas de produção e colher seus próprios morangos. "A reação das pessoas é muito gratificante", diz Keiji. No entanto, enfatizou a necessidade de o produtor saber produzir com qualidade, calcular bem os custos e oferecer uma infraestrutura adequada à recepção do público, com boa localização, placas, estacionamento, banheiros, acessibilidade, bons atrativos, entre outros. Assim, o produtor precisa saber conciliar a produção com a gestão, estando preparado para gerenciar o negócio.

Ingrid Senra, produtora de Pinhalão, PR, apresentou a experiência de sua empresa, que almeja, ainda neste ano, pleitear a certificação da Produção Integrada de Morango, inclusive para a agroindústria. "Começamos em 2016, sempre observando as boas práticas no campo e na casa de embalagem. Escolhemos a produção integrada por considerarmos uma certificação mais séria e mais rígida do que outras opções que analisamos”. Ingrid e a família trabalham juntos e testam várias opções de novas tecnologias, além de estarem se capacitando e construindo toda infraestrutura para atender aos requisitos das Normas Técnicas da PIMo.  

Bruna de Cara, aluna de mestrado da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp, apresentou o trabalho que desenvolve sob orientação do professor Flávio Scmidt para comparação entre os processos de fabricação de geleia caseiro e industrial. Utilizando a Avaliação do Ciclo de Vida (ACV), em colaboração com a pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente Marília Folegatti, pretende fazer a comparação, quantificando os insumos consumidos em cada processo: água, morango, ingredientes, gás, entre outros, considerando todas as etapas, do cultivo à industrialização. O programa PIMo, que possui rastreabilidade durante a fase de produção do morango no campo, se disponibilizou a contribuir com a matéria prima para o estudo da mestranda.

Para o pesquisador da Embrapa Meio Ambiente Claudio Buschinelli, que orienta os produtores e técnicos na elaboração do Plano de Gestão Ambiental de seus estabelecimentos, “a utilização de solo, água, insumos, mão de obra, entre outros já está sendo analisada na PIMo. Assim, será muito interessante a nova colaboração com a Unicamp."

Atualmente, o grupo da PIMo-SP é composto por nove produtores cadastrados em Atibaia e Piedade, que cultivam morangos em dois sistemas – solo e semi-hidropônico, com um total de 95.900 plantas. Este grupo tende a aumentar, pois a Prefeitura de Piedade promoveu uma palestra de sensibilização no município e mais 15 produtores manifestaram interesse na adesão.

A próxima reunião do Comitê será em 26 de outubro, no Parque do Morango Duílio Maziero.

 

Cristina Tordin (MTB 28499)
Embrapa Meio Ambiente

Contatos para a imprensa

Telefone: 19 3311 2608

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/