29/08/18 |   Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação  Transferência de Tecnologia

Novas tecnologias são entregues à comunidade rural pela pesquisa na 41ª Expointer

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Paulo Lanzetta

Paulo Lanzetta - Embrapa faz lançamento de Régua de pastagens e Indice Bioeconômico de Carcaças na 41ª Expointer com parceiros no Pavilhão Internacional do Parque de Exposições Assis Brasil (Esteio,RS).

Embrapa faz lançamento de Régua de pastagens e Indice Bioeconômico de Carcaças na 41ª Expointer com parceiros no Pavilhão Internacional do Parque de Exposições Assis Brasil (Esteio,RS).


Régua BRS Sul e Índice Bioeconômico de Carcaças, e mais seis publicações técnicas, fazem parte da lista de novidades lançadas pela Embrapa e parceiros.  

    Nesta segunda-feira, 27 de agosto, a Embrapa realizou os seus lançamentos na 41ª Exposição Internacional de Animais - Expointer (Esteio,RS). São oito novas tecnologias entregues à comunidade rural para colaborar com o desenvolvimento agropecuário na região Sul, estendendo-se para todo o país. O ato contou também com assinaturas de convênios de cooperação técnica junto a parceiros. O diretor-executivo de Inovação e Negócios da Empresa, Cleber Soares, representou a Presidência da Embrapa.

    A Embrapa, localizada no Pavilhão Internacional do Parque de Exposições Assis Brasil, divide espaço institucional com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), reuniu parceiros e autoridades da Exposição para realizar uma cerimônia, disponibilizando tecnologias especialmente para pecuária - uma régua e um indexador para base de dados informatizados - e mais publicações técnicas que sustentam informações importantes para quem faz uso da terra e trabalha com a agropecuária.

    As tecnologias voltadas para pecuária são a Régua de Manejo de Pastagens BRS Sul, que permite tomar decisões rápidas quanto ao ajuste da carga animal em uma determinada pastagem e o Índice Bioeconômico de Carcaça (IBC), um  indexador que avalia o desempenho dos reprodutores quanto à capacidade de produzir descendentes com a probabilidade de se inserirem no programa de carne premium e receberem bonificação dos frigoríficos. Além dessas duas tecnologias foram apresentados as publicações: o Manual de Cortes da Carne Ovina; Uso da Terra no RS; Rede Leite; Anuário do Leite 2018; Prioridades da Pecuária de Corte Brasileira e a Cartilha do Agricultor - Micotoxinas no Trigo.

" Se nós não desenvolvermos tecnologias e não levarmos as tecnologias para o campo não teríamos motivo maior de nossa existência, nosso trabalho", reafirmou o papel da Embrapa, o seu diretor-executivo de Inovação e Negócios, Cleber Soares. Ele, ao lançar as novidades da Empresa, citou os pontos fortes de cada um dos produtos apresentados na 41ª Expointer. Segundo Cleber Soares,  a Régua BRS Sul e o Indice Bioeconômico de Carcaças, especialmente, respaldam o dia a dia do produtor rural. "A régua é um instrumento relativamente simples, mas que tem uma importância vital para o homem do campo que precisa manejar a pastagem de clima temperado e o IBC traz subsídios para qualificar as carcaças de carne", completou Soares. Ele ainda destacou que na publicação Prioridades da Pecuária de Corte Brasileira, a situação do RS, que lhe chamou a atenção foi que a prioridade está centrada no controle e manejo  de parasitas, tanto para gado de corte quanto para gado de leite. "Isso reforça ainda mais o que a pesquisa pode balizar para o setor", disse Soares.

Convênios

A ocasião foi marcada por assinaturas de acordo de parceria entre a Embrapa e a Marfrig   para agregação de valor à carne bovina; com a Limana PoliServiços para testes de desenvolvimento de máquinas e equipamentos para o sistema de produção da cana-de-açúcar e transferência de tecnologias; e a Agropecuária Krusser Eireli, para realização de pesquisa agropecuária conjunta ao manter uma coleção de lúpulo oriundos da Universidade Estadual de Oregon, EUA. "Nossa intenção é formar uma rede de avaliação e desempenho desses materiais para ver quais são os melhores adaptados as condições de solo e clima do nosso país, já que é um apelo de mercado, aja vista a expansão de microcervejarias a nível nacional e pelo fato do Brasil ser completamente dependente da importação de lúpulo", explicou o chefe-geral da Embrapa Clima Temperado (Pelotas,RS), Clenio Pillon. "É uma grande oportunidade de estruturar uma nova cadeia produtiva", completou Pillon.

    Compareceram ao ato de lançamentos da Embrapa, o diretor-executivo de Inovação e Negócios, Cleber Soares; os chefes das cinco Unidades de pesquisa da região Sul, além da Chefia da Embrapa Gado de Leite (Juiz de Fora, MG) e representantes de todos as instituições parceiras da Empresa nesta edição da 41ª Expointer a saber: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa); SEBRAE/RS; Associação Criadores Gado Jersey do RS; Associação Nacional de Criadores de Herd-Book Collares; Universidade Federal do Pampa (Unipampa); Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Universidade Federal de Pelotas (UFPel); Universidade Estadual de Londrina; Marfrig; Limana PoliServiços; Agropecuária Krusser Eireli e Emater/RS-Ascar.

 

 

Cristiane Betemps (MTb 7418/RS)
Embrapa Clima Temperado

Contatos para a imprensa

Telefone: (053) 3275-8215

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Galeria de imagens

Encontre mais notícias sobre:

manejo de pastagenslançamentosagropecuária