29/10/18 |   Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação

Crianças refletem sobre como a ciência ajuda na redução das desigualdades

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

 - Crianças cheirando subprodutos da uva

Crianças cheirando subprodutos da uva

As formigas vivem em sociedade? O pé de uva pode nascer de um galho? Uma fruta feia é tão boa para a saúde como uma fruta bonita? Como a ciência ajuda a ninguém ser deixado para trás? Essas e muitas outras perguntas chamaram a atenção e foram tema de discussão e aprendizado de cerca de mil crianças durante a 18ª edição do Programa Embrapa & Escola, que ocorreu de 22 a 26 de outubro na sede da Embrapa Uva e Vinho, em Bento Gonçalves.

O passeio, que durava um turno, integrou a programação da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia de 2018 e seguiu a temática proposta da “Ciência para a redução das desigualdades”, inspirada nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU). Nesta edição, os estudantes não apenas ouviram as explicações dos diferentes palestrantes nas Estações do Conhecimento, mas precisaram pensar e expressar as suas ideias.

“Este é um programa institucional conduzido há diversos anos, sempre na semana de Ciência e Tecnologia e a ideia é oportunizar para os estudantes de 4ª e 5ª anos uma experiência do processo científico. Entendemos que trazê-los para dentro da empresa, oferecer um dia de imersão em diferentes atividades de pesquisa que tem a ver com tema anual, que este ano é a redução das desigualdades, além de auxiliar na formação deles como estudantes, também abre novas possibilidades, inclusive para escolha de profissões, porque passam a entender como a ciência pode ajudar a resolver os problemas do dia-a-dia. Durante a visita os estudantes também consolidam de uma maneira mais prática, tudo o que aprendem na  sala de aula. O Embrapa&Escola recebe muita atenção e apoio da Embrapa todos os anos. Investir nesses jovens é valorizar a ciência”, explicou Marcos Botton, chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia  da Embrapa Uva e Vinho.

A dinâmica do Embrapa & Escola ocorreu por meio de quatro estações do conhecimento que abordaram as temáticas por diferentes áreas da Embrapa. Em 2018, o circuito contou com as seguintes Estações:

- Estação dos ODS, que ficou sob a responsabilidade da área de Transferência de Tecnologia. Nela, a equipe apresentou a relação dos ODS com a proteção do meio ambiente e redução das desigualdades entre as pessoas e regiões. A partir de uma dinâmica, as crianças refletiram e discutiram sobre como contribuir para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, com práticas diárias e que não exigem grandes esforços, mas cujos efeitos são importantes para a saúde do planeta e das populações. Segundo o engenheiro agrônomo Rodrigo Monteiro, as crianças que participaram do Embrapa & Escola desse ano estavam muito atentas às fragilidades socioambientais contemporâneas e, de forma surpreendente e à sua maneira inocente, mostraram-se envolvidas na discussão da agenda global dos ODS.

-Estação Laboratório de Análise Sensorial, sob responsabilidade da equipe da pós-colheita e da enologia: os alunos aprenderam sobre a importância de não desperdiçar os alimentos e de reaproveitar todas as partes, com exemplos práticos da uva, onde viram a utilização da fruta na elaboração do suco, vinagre, farinha de semente e óleo da semente de uva. Também puderam degustar a maçã natural, tomar o suco e provar o chips e a geleia de maçã, aprendendo sobre agregação devalor.

-Estação da Entomologia: os alunos conheceram um formigueiro gigante e como as tarefas são divididas entre as formigas, que assumem diferentes funções estabelecidas geneticamente pelarainha. A Estação de Entomologia fez uma comparação da sociedade das formigas com a nossa sociedade.

- Estação Mudas de Qualidade: as crianças aprenderam como são feitas as mudas de videira sadias, através das técnicas de estaquia e micropropagação. No final, cada professora pôde levar para sala de aula uma muda de videira, para acompanhar o desenvolvimento junto com suas turmas.

Marcelo Luis Bettoni, Gerente de Negócios da Sicredi Serrana, participou pela primeira vez do Embrapa & Escola. Para ele, “o programa vem ao encontro da forma de atuação da Sicredi Serrana trabalhar, visando o desenvolvimento das nossas comunidades locais, com sustentabilidade”.  Para Bettoni, a estrutura da Embrapa faz com que as crianças também conheçam a natureza, a área voltada à agricultura, e os experimentos. “Quando recebemos o convite para fazer parte do Embrapa & Escola atendemos uma pequena formalidade de ajudarmos e, ao fim, nos sentimos muito gratos por poder participar deste Projeto”, concluiu.

A Edição de 2018 do Programa Embrapa & Escola contou com o apoio da Sicredi Serrana, da Associação Brasileira de Produtores de Maçã (ABPM), do Ibravin, da Isabela, da Tecnovin, e Uva'Só Produtos Orgânicos. ‎

Percepções sobre o Embrapa & Escola

Nesta edição, as Escolas Municipais Hermínio Casagrande e Rodrigo Alves, de Santa Tereza, estrearam no Programa Embrapa & Escola, com a participação de 17 crianças. Segundo a professora Dinalva Soligo eles foram surpreendidos pelo evento. “A visita foi muito melhor do que a gente pensava. As atividades dinâmicas ajudaram os alunos a entenderem melhor e a refletir sobre os temas apresentados. Eles amaram, principalmente porque vivenciam diariamente o cultivo da videira e se identificaram”, avaliou ela, que ainda pontuou que os alunos aprenderam coisas novas e que com certeza irão conversar e repassar para os pais e familiares.

O evento também foi novidade para Vinicios Dall Oglio, proprietário da Agroindústria Familiar Dall Oglio, que foi um dos responsáveis pelos lanches das crianças, com o patrocínio da Sicredi Serrana. “Achei um projeto muito interessante, muito valioso para as nossas crianças. Sem sombra de dúvida elas levarão para o resto da vida o aprendizado que estão tendo nesse dia”, avaliou ele, que também acompanha outros projetos semelhantes, inclusive na sua agroindústria, onde os alunos preparam o lanche para os colegas e levam para a escola. “É importante a criança sair da sala de aula e participar do dia a dia de uma empresa como a Embrapa, que é um centro de pesquisa onde muita novidade e inovação são desenvolvidas. É parte do nosso município e da nossa região”, pontuou ele que encerrou parabenizando a iniciativa.

“Todos os anos a gente se surpreende, porque a cada ano tem uma inovação. Esse ano está ainda mais surpreendente. Foi bem diferente, bastante produtivo para os estudantes”, na percepção da professora Solange Nichetti Comiotto, uma das veteranas que estava participando pela quarta vez do evento. Ela destaca, como um dos pontos altos do evento, a possibilidade do contato com a natureza, que não é uma realidade vivenciada no dia a dia de todas as crianças.

De uma maneira geral, as crianças gostaram de todas as Estações. Lucas Lopes, 10 anos, do 4º ano da Escola Carlos Dreher Neto, que veio pelo segundo ano ao Embrapa & Escola, adorou a Estação de Transferência de Tecnologia e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Mariane Cardoso Gonçalves, 10 anos, da mesma escola, também gostou dos ODS e da Estação das Casas de Vegetação, coma produção de mudas. Micaela Nardi, 9 anos, do Colégio Scalabriniano Medianeira, adorou a Estação de Análise Sensorial, especialmente a degustação de chips de maçã. 

Viviane Zanella (14400 DRT/RS)
Embrapa Uva e Vinho

Contatos para a imprensa

Telefone: 54-34558084

M. Francisca Canovas de Moura (7168 DRT/RS)
Embrapa Uva e Vinho

Contatos para a imprensa

Telefone: 54-3455-8120

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Galeria de imagens

Encontre mais notícias sobre:

visitaembrapa escolacriançaescolaembrapa escola 2019professor