16/11/18 |   Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação  Transferência de Tecnologia

Embrapa participa da Fiman com palestras, oficina e exposição de tecnologias

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Alessandra Vale

Alessandra Vale - A BRS CS01 é a primeira variedade de mandioca lançada pela Embrapa para uso industrial

A BRS CS01 é a primeira variedade de mandioca lançada pela Embrapa para uso industrial

Em sua segunda edição, a Feira Internacional da Mandioca (Fiman) vai reunir, de 20 a 22 de novembro, em Paranavaí (PR), representantes de toda a cadeia produtiva e de consumo. Mais de 100 expositores do Brasil e do exterior vão participar do evento, e a expectativa da organização é que mais de 5 mil pessoas de 30 países visitem a Fiman 2018, entre industriais, produtores, fornecedores, consumidores e varejistas, com a geração de aproximadamente R$ 100 milhões em negócios. A Embrapa Mandioca e Fruticultura — Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento — vai marcar presença novamente com apresentação de palestras, oficina e demonstração de tecnologias em seu estande e uma ampla equipe técnica (13 pessoas), que envolve profissionais das áreas de pesquisa e desenvolvimento, transferência de tecnologia, ações estratégicas e comunicação, liderados pelo chefe-geral Alberto Vilarinhos.

Palestras
No primeiro dia (20), o analista Helton Fleck (Setor de Gestão de Transferência de Tecnologia – STT) vai ministrar a palestra sobre a Rede de multiplicação e transferência de materiais propagativos de mandioca com qualidade genética e fitossanitária, intitulada “Reniva – Inovação tecnológica e de negócio para produção de material propagativo da mandioca”. No dia seguinte (21), o tema “Manejo integrado de doenças da mandioca” será apresentado pelo pesquisador Saulo Oliveira, e a última palestra, no dia 22, será a do chefe-adjunto de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D), Francisco Laranjeira, sobre “Legislação de acesso e uso de patrimônio genético e suas implicações para a cadeia da mandioca”.

Dia de campo
Na manhã da quarta-feira (21), as atividades serão em campo. Os pesquisadores Marco Antonio Rangel e Rudiney Ringenberg, que atuam no campo avançado (CA) da Embrapa Mandioca e Fruticultura no Centro-Sul, vão falar sobre “Plantio direto em mandioca” e “Manejo integrado de insetos-praga da cultura da mandioca”, respectivamente. Rangel divide sua apresentação com o pesquisador Eduardo Vieira, da Embrapa Cerrados (DF).

Oficina
Haverá ainda uma oficina na manhã do dia 22 sobre Prospecção, validação e priorização de demandas tecnológicas, liderada pelo pesquisador Clóvis Almeida, do Núcleo de Ações Estratégicas (NAE), com apoio dos pesquisadores Gilmar Santos (NAE), do analista Ildos Parizotto (STT) e da equipe do CA do Centro-Sul (em especial, o pesquisador Rangel), em conjunto com instituições parceiras (Centro Tecnológico da Mandioca – Cetem; Associação Brasileira dos Produtores de Amido de Mandioca – Abam; e Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural – Emater-PR). 

Será aplicada a matriz GUT (Gravidade, Urgência e Tendência) para dar continuidade ao trabalho de prospecção, validação e priorização de demandas do polo de produção de mandioca do Centro-Sul do país (Painel de Especialistas), realizado durante a primeira edição da Fiman, em 2016, sob o comando do chefe-adjunto de P&D, Francisco Laranjeira, e do gestor do NAE, Carlos Estevão Cardoso.

Tecnologias
No estande da Embrapa, o público poderá obter informações detalhadas sobre o Reniva, as variedades de mandioca lançadas especificamente para a região — a BRS 396 e a BRS 399 (variedades de mesa) e a BRS CS01 (para a indústria) —, os chips de mandioca e a técnica de multiplicação rápida de material propagativo.  O estande estará sob a responsabilidade do técnico Osvaldo da Paz (Núcleo de Comunicação Organizacional – NCO) e do analista Herminio Rocha (STT). 

Além dos profissionais já citados, vão participar ainda do evento o pesquisador Marcelo Romano, que também atua no CA do Centro-Sul, e a jornalista Alessandra Vale (NCO).

A Feira
A Fiman 2018 é uma parceria da Associação Comercial e Empresarial de Paranavaí (Aciap), Sindicato Rural de Paranavaí, Sociedade Rural do Noroeste do Paraná, Prefeitura Municipal de Paranavaí e Cetem, com organização da Combo Action.

Para esta edição, estão confirmadas empresas e comitivas visitantes da China, Tailândia, República da Guiné, Serra Leoa, Luanda, Costa do Marfim, Colômbia, Nigéria, Estados Unidos, África, Senegal, Paraguai e Nicarágua, entre outros.

Maior produtor
O Paraná é o maior produtor de fécula do Brasil, e a cidade de Paranavaí é polo da maior região produtora de mandioca para fins industriais e referência mundial de produtividade e qualidade. A Fiman vai acontecer no centro da região responsável por 70% da produção de mandioca e 65% da capacidade industrial instalada no País.

Serviço
Feira Internacional da Mandioca – Fiman 2018

Data: 20 a 22/11 (terça a quinta-feira)
Local: Parque Internacional de Exposições Costa e Silva: BR-376, Zona 11 | Paranavaí (PR)
Horário: 13h às 20h
Entrada: gratuita

Alessandra Vale (Mtb-RJ 21.215)
Embrapa Mandioca e Fruticultura

Contatos para a imprensa

Telefone: (75) 3312-8160

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

transferência de tecnologiamandiocaeventofimancursos e eventos