20/11/18 |   Produção vegetal  Transferência de Tecnologia

Congresso discute inovações e reconfigurações no cenário do tomate industrial no Brasil e no mundo

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Novas configurações do cenário do tomate industrial no Brasil e no mundo, palestras sobre o uso de inteligência artificial na produção agrícola, rastreabilidade do fruto e inovações na área de tecnologia de alimentos são algumas das temáticas presentes na 9ª edição do Congresso Brasileiro de Tomate Industrial (CBTI), que acontece entre os dias 20 a 22 de novembro de 2018.

Além de compartilhar a produção do evento com outras instituições, a Embrapa Hortaliças (Brasília, DF) marca presença também na programação, com o curso sobre “Doenças/Diagnose do tomate” e suas diversas vertentes: “Introdução a doenças do tomateiro”, “Fungos”, “Bactérias” e “Vírus” serão os temas abordados pelos pesquisadores Carlos Alberto Lopes, Valdir Lourenço Júnior, Alice Quezado e Alice Nagata, respectivamente.

“Será um minicurso preparado com o objetivo de auxiliar na capacitação de estudantes e técnicos que vão trabalhar com a cultura”, informa a pesquisadora Alice Quezado, que integra a Comissão Organizadora do CBTI. Além do minicurso, a pesquisadora também participa da mesa-redonda “Desenvolvimento e oferta de novos híbridos para o Brasil” com a apresentação da palestra “Mancha bacteriana: é possível melhorar a resistência das variedades”?

Com relação ao tema que será abordado na mesa-redonda, vale destacar a importância do trabalho de pesquisa no enfrentamento da mancha bacteriana, considerada uma das doenças mais importantes de pimentão e de tomate e que, quando presente nessas culturas em meio a condições favoráveis – ambientes úmidos e quentes –, é de difícil controle.

As publicações sobre essa e outras temáticas relacionadas às pesquisas conduzidas na Embrapa Hortaliças estarão disponíveis no estande da instituição montado na área do evento.

Cenário mundial
Quando o assunto é tomate industrial, os dados impressionam: entre os anos de 2014 e 2016, cerca de 39,79 milhões de toneladas de tomate foram destinadas ao processamento industrial no mundo, conforme dados divulgados pelo Conselho Mundial do Tomate para Processamento (WPTC, sigla em inglês). Nesse contexto, o Brasil ocupa posição privilegiada entre os principais produtores mundiais de tomate – nesse mesmo período, a produção nacional alcançou o volume de quatro milhões de toneladas, sendo 37% desse total voltados para o processamento. 

No Brasil, o estado de Goiás é destaque na produção, já que cerca de 70% do tomate cultivado no País são produzidos na região. Daí a importância de um evento como o CBTI, na opinião da pesquisadora, para quem “o congresso é também uma oportunidade de interagir com os atores da cadeia produtiva para troca de experiências”.

Anelise Macedo (MTB 2.749/DF)
Embrapa Hortaliças

Contatos para a imprensa

Telefone: 61 3395-9109

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

hortaliçastomatecongressoindústria