07/12/18 |   Recursos naturais

Embrapa leva conhecimento sobre o solo ao Museu do Meio Ambiente

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Fernando Gregio

Fernando Gregio - Os pesquisadores Fabiano Balieiro e Rosângela Straliotto atendem visitantes durante a exposição no Museu do Meio Ambiente.

Os pesquisadores Fabiano Balieiro e Rosângela Straliotto atendem visitantes durante a exposição no Museu do Meio Ambiente.

Quem visitou o Museu do Meio Ambiente, no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, durante a manhã da última quarta-feira (5/12), teve a oportunidade de aprender sobre a origem dos solos tropicais, as funções do solo, a importância da sua preservação e as vantagens da compostagem para a produção de fertilizantes orgânicos, além de conhecer alguns compromissos da pesquisa agropecuária brasileira com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU para os próximos 12 anos. As exposições e apresentações organizadas pela Embrapa Solos foram uma celebração ao Dia Mundial do Solo e atraíram parte do público que visitava o Jardim Botânico, incluindo alguns turistas estrangeiros.

Na área externa do museu, os visitantes puderam ver e tocar dois macromonolitos representando perfis dos solos brasileiros, de 60 cm de diâmetro por 80 cm de altura, que foram coletados em campo por pesquisadores da Embrapa Solos.

Ana Rosa de Oliveira, pesquisadora paisagista do Instituto de Pesquisas Jardim Botânico, fez questão de participar da exposição quando ficou sabendo da programação. “Hoje pude conhecer melhor o trabalho da Embrapa na área de solos. Foi simbólico para mim aprender um pouco mais sobre o que é o solo e como eu posso aprofundar o meu conhecimento sobre esse recurso natural para enriquecer a minha atuação profissional. A paisagem está diretamente associada à conservação e ao uso que se faz do solo.”

O estudante de engenharia ambiental Matheus Malta salientou a importância de eventos que promovam informações técnicas sobre o solo e mostrem a importância de sua preservação. “De modo geral, as pessoas não têm a noção adequada sobre os impactos negativos de um solo degradado ou contaminado por agrotóxicos, por exemplo. É preciso aprofundar esse debate, entender por que precisamos cuidar dos solos.”     

Importância da preservação
O Dia Mundial do Solo foi estabelecido em 2002 durante o XXVII Congresso Mundial de Ciência do Solo, em Bangkog, Tailândia, pela Sociedade Internacional de Ciência do Solo (IUSS). Foi escolhido o dia 5 de dezembro como homenagem ao rei daquele país, Bhumibol Adulyadej, em função de sua dedicação em promover a ciência do solo, enfatizando a conservação do solo como uma questão ambiental.

São funções vitais do solo a produção de alimentos, fibras e combustíveis; a filtração, purificação e estoque de água; a oxidação e redução de poluentes; o armazenamento e degradação de lixo e o sequestro de gases de efeito estufa.

Mesmo sendo, portanto, essencial para a qualidade de vida no Planeta, esse recurso natural sofre com a intervenção inadequada do homem e está sob risco, como mostrou o relatório da FAO lançado em 2015, com participação da equipe da Embrapa Solos. O documento revela que 33% da terra do mundo está degradada por erosão, salinização, compactação, acidificação e contaminação.

Fernando Gregio (MTb 42.208/SP)
Embrapa Solos

Contatos para a imprensa

Telefone: (21) 2179-4622

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Galeria de imagens

Encontre mais notícias sobre:

solos