11/12/18 |   Recursos naturais

Carta de Nova Friburgo traz propostas para desenvolvimento sustentável em ambientes de montanha

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Liliane Bello

Liliane Bello - Participantes que contribuíram para a discussão da carta de Nova Friburgo

Participantes que contribuíram para a discussão da carta de Nova Friburgo

Após dois dias de discussões, chegou ao fim o III Workshop sobre Desenvolvimento Sustentável em Ambientes de Montanha – evento integrante do Mountains 2018, com a apresentação da chamada Carta de Nova Friburgo, uma iniciativa dos participantes do evento para alertar a sociedade e o poder público sobre a importância de ações focadas nos ambientes de montanhas. A construção do documento foi conjunta e discutida amplamente por pesquisadores, professores e representantes de diversas instituições. “Essa carta tem um poder muito grande e traz para a Embrapa a responsabilidade, enquanto empresa pública, para atuar nesse contexto, com novas propostas e projetos de pesquisa”, afirmou o chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Agroindústria de Alimentos, Fernando Teixeira Silva.

Escrita em consonância com as iniciativas e tendências globais previstas na Agenda 21, na declaração da Rio+20 e nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, entre outras, a Carta de Nova Friburgo propõe uma série de estratégias específicas para as regiões montanhosas. “Os ambientes de montanha estão entre os primeiros a serem afetados pelas mudanças climáticas em curso, que já repercutem nos aspectos ambientais, econômicos e sociais. Tais pressões apontam para a clara necessidade de estratégias específicas e transversais visando à proteção, conservação, restauração e valorização, com foco no desenvolvimento sustentável desses territórios”, diz o documento.

Entre as ações propostas, destaca-se a sensibilização e a mobilização das populações urbanas e rurais, a identificação e o mapeamento das montanhas, o fomento à pesquisa e à geração de tecnologias e inovações, bem como o resgate e a valorização do conhecimento local e o incentivo à troca de experiências. Também são recomendações do grupo o aprimoramento dos mecanismos de gestão de riscos naturais, a valorização e o fomento de atividades econômicas sustentáveis, a definição de programas e políticas públicas para atuação responsável nesses ambientes, e, finalmente, a necessidade de encorajar o governo brasileiro a se integrar às iniciativas internacionais para o desenvolvimento sustentável, a exemplo da Aliança para as Montanhas.

Para o secretário do gabinete da prefeitura de Nova Friburgo, Wilton Neves, o documento é um importante ponto de partida para a ação governamental e o incentivo a políticas públicas destinadas ao ambiente de montanhas. “Essa será mais uma carta na manga para buscarmos investimento e estrutura junto aos governos federal e estadual. Temos interesse total e integral de sermos uma cidade de montanha sustentável. A prefeitura vai se empenhar 100% para contemplar e implementar esta carta e buscar parceiros para difundi-la”, afirmou.

“O ambiente de montanha é apaixonante. Seja por motivação econômica, social ou de lazer, as montanhas atraem a gente. Então, com o engajamento correto, não é difícil alertar a população sobre os riscos que esse ambiente sofre, tais como a questão hídrica e os desmatamentos, por exemplo. Fica o desafio para todos nós”, pontuou Fernando.

Confira a íntegra da Carta de Nova Friburgo aqui.

Liliane Bello (MTb 01799/GO)
Embrapa Agrobiologia

Contatos para a imprensa

Telefone: (21) 3441-1596/99339-1850

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

mountainsmontanhasregião serrana