31/05/19 |

Embrapa Territorial comemora aniversário de 30 anos

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Lilian Alves

Lilian Alves -

A presença de diversas autoridades marcou, em 30 de maio, a comemoração de aniversário da Embrapa Territorial. Ao longo de três décadas, a unidade da Embrapa, localizada em Campinas (São Paulo), tem contribuído para ampliação da sustentabilidade e competitividade da agropecuária brasileira. O centro de pesquisa desenvolve sistemas de inteligência e gestão territorial para apoiar a atuação do governo e de entidades do setor agropecuário.

A solenidade teve a presença da ministra da Agricultura, Tereza Cristina; do ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva; do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles; do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo; do presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, deputado Alceu Moreira; do presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa. Também esteve presente o diretor-executivo de Pesquisa e Desenvolvimento, Celso Moretti; o presidente do Conselho de Administração da Embrapa, Fernando Camargo; além de gestores de diversas unidades da Empresa. 

Cerca de 300 dirigentes e membros de associações nacionais e de empresas ligadas ao agronegócio, ao cooperativismo e à agricultura familiar, membros da comunidade acadêmica e representantes de instituições militares participaram da cerimônia. O governador do estado de São Paulo, João Doria, foi representado pelo secretário Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Gustavo Junqueira. O prefeito Municipal de Campinas e presidente Nacional de Prefeitos, Jonas Donizete, acompanhado de vários secretários municipais, acompanhou a cerimônia.

A placa comemorativa aos 30 anos da Embrapa Territorial foi descerrada pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina; pelo presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa; e pelo chefe-geral da Embrapa Territorial, Evaristo de Miranda.

O presidente da Embrapa Sebastião Barbosa destacou o trabalho inovador da Embrapa Territorial. “Essa Unidade tem um trabalho diferente das demais unidades da Embrapa. Aqui está a inteligência geográfica do País e isso faz com que possamos conhecer a dimensão da nossa agricultura”, enfatizou, ao agradecer o comprometimento de todos os empregados da Unidade.

Do passado ao futuro

Durante seus 30 anos, a Embrapa Territorial trabalhou para todos os estados da Federação e atuou com todas as cadeias produtivas da agropecuária. Para relembrar as principais contribuições, o chefe-geral traçou um quadro de atuação em três tempos: passado, presente e futuro.

Miranda destacou a participação, no passado, em programas de pesquisa com pequenos produtores das regiões Sul, Sudeste e Amazônia. Ele ressaltou o projeto com pequenos agricultores de Rondônia, em que 350 agricultores são acompanhados há 35 anos.

Também citou o programa de estímulo à produção de alimentos no Nordeste, com a produção de grãos no oeste da Bahia, no sul do Maranhão e Piauí. Graças a esse avanço, nos últimos três anos o Nordeste tem ultrapassado a produção de grãos da região Sudeste.
 
Ainda na região Nordeste, a Embrapa Territorial contribuiu para a criação de polos de irrigação; delimitação e caracterização da região do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia); qualificação da agricultura e dos agricultores do semiárido.

Outro trabalho citado foi o da dimensão territorial das áreas dedicadas pelos agricultores à preservação da vegetação nativa no interior de suas propriedades. Os estudos foram desenvolvidos a partir dos dados do Cadastro Ambiental Rural (CAR) do Sistema Florestal Brasileiro. 

Do presente, Miranda apontou a inauguração da Sala de Situação, ocorrida na ocasião, e o esforço dos parlamentares para aprovação de alteração do Código Florestal Brasileiro. “O artigo 68 estabelece a lei do tempo e foi considerado constitucional pelo STF. Foi aprovado ontem pela Câmara, mas parou no Senado. Aproveito para agradecer a ministra Tereza Cristina pela sua atuação decisiva para o engajamento do governo na edição de nova medida provisória”, afirmou.

A presença dos quatro ministros na solenidade, como frisou Miranda, representa o futuro. Entre os trabalhos a serem desenvolvidos com os Ministérios, o chefe-geral destacou o desenvolvimento do sistema de inteligência para detecção precoce de pragas, sistema de gestão da agricultura familiar, sistema de inteligência para fiscalização de desmatamento (ênfase na Amazônia) e o fornecimento de informações para o departamento de promoção do agronegócio brasileiro, criado pelo Ministério das Relações Exteriores.

Parcerias entre Ministérios

Na solenidade foi assinado um protocolo de intenções entre os ministros da Agricultura, do Meio Ambiente e da Defesa, no âmbito do Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (Pese). O protocolo é referente ao projeto do primeiro satélite de alta resolução espacial brasileiro, chamado Carponis-1. 

O protocolo ampliará de forma coordenada as ações de inteligência, gestão e monitoramento, com base em imagens de satélites, de atividades pertinentes aos interesses da agropecuária, da proteção animal, da defesa e da segurança pública.

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, destacou o uso civil e de defesa do sistema espacial e ressaltou o fato da parceria entre os três Ministérios demonstrar o esforço de cooperação de toda a esfera governamental.

Antes da cerimônia, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, inaugurou a Sala de Situação da Embrapa Territorial. A sala de Situação está aparelhada com uma complexa e robusta estrutura tecnológica com fins de gerir e monitorar, em bases territoriais e dinâmicas, a agropecuária nacional e o seu desenvolvimento. 

A Sala de Situação está conectada internamente à área de recepção e tratamento de imagens de satélite do centro de pesquisa. Externamente, estará conectada diretamente a uma estrutura análoga junto ao Gabinete do Mapa, órgãos de outros ministérios e da Presidência da República para oferecer um painel dinâmico da agropecuária brasileira.

A ministra agradeceu à Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) pelo investimento na implantação da Sala de Situação e destacou a possibilidade de obter dados mais afinados e apurados sobre a agropecuária brasileira. “Vamos ter uma réplica dessa sala no Mapa. Isso nos permitirá organizar todos os nossos dados, que hoje estão pulverizados. Será possível programar e projetar estratégias, a partir dessa base de dados, para todo o agronegócio brasileiro”, declarou Tereza Crisitina.

Para a ministra, os estudos desenvolvidos pela Embrapa Territorial mostram a importância do agronegócio brasileiro. “Com dados e números é comprovado o que o agro faz pelo Brasil. Não existe isso do agricultor ser o destruidor do meio ambiente. O Brasil faz muito mais do que nos cobram lá fora. Nós conseguimos preservar mais de 60% do território brasileiro. Precisamos mostrar mais esses resultados”, afirmou.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, ressaltou a harmonia entre a agropecuária e meio ambiente. “A relação dos ministérios da Agricultura e Meio Ambiente é próxima e temos o objetivo de resolver os problemas brasileiros. E isso, com certeza, passa pela Embrapa”, disse.

“A transformação do Brasil em potência mundial não seria possível sem o agro e sem a Embrapa”, afirmou o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. Na opinião dele, os dados gerados pela Embrapa Territorial são fundamentais para “levar ao mundo o retrato fiel do agro brasileiro”.

Homenagens

Dois representantes dos empregados da Embrapa Territorial e cinco parceiros externos foram homenageados na solenidade.  A analista Vera Lúcia João Telles e José Roberto Miranda, pesquisador do Grupo de Monitoramento Territorial e ex-chefe-geral da Unidade, no período de 1994 a 2001, representaram os empregados. Ambos ingressaram na Embrapa em 01 de junho de 1989. Eles receberam as medalhas das mãos do presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa.

Os parceiros homenageados foram o historiador e jornalista Rodrigo Lara Mesquita; o General de Exército Francisco Roberto de Albuquerque; o ex-deputado e ex-ministro Aldo Rebelo; o deputado federal Alceu Moreira; e Daniel Carrara, diretor-geral do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), representando o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins da Silva Júnior. Os ministros Ernesto Araújo, Ricardo Salles e Tereza Cristina entregaram as medalhas a essas personalidades.

História do Centro 

Criada em 31 de maio de 1989 por determinação da Presidência da República, a Embrapa Territorial desenvolve e aplica métodos de inteligência, gestão e monitoramento sobre uso e ocupação das terras pela agropecuária. 

Ao corpo técnico, soma-se uma infraestrutura capaz de processar e armazenar grandes conjuntos de dados com total segurança. Sua área de Gestão de Dados e Informação Espacial conta com mais de 15 mil itens em acervo cartográfico. Mantém ainda 1.140 publicações disponíveis online, com 64.469 downloads oriundos de 138 países, só em 2018. 

A Embrapa Territorial também desenvolve plataformas customatizadas para diversas organizações do agronegócio e da esfera pública, como, por exemplo, o sistema de inteligência territorial da macrologística agropecuária. Mais de 35 sistemas de inteligência e gestão territoriais estão em operação, recobrindo diversas regiões, atividades agropecuárias e cadeias produtivas em todo o País.

Liliane Castelões (16.613 MTb/RJ)
Embrapa Territorial

Contatos para a imprensa

Telefone: 19 3211-6200

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Galeria de imagens

Encontre mais notícias sobre:

ministério da agriculturacerimôniaaniversário