05/06/19 |   Comunicação  Transferência de Tecnologia

Embrapa Pecuária Sul estará presente no 27º Seminário Pastos & Pastagens

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Manuela Bergamim

Manuela Bergamim - Embrapa marca presença no Pastos e Pastagens

Embrapa marca presença no Pastos e Pastagens

 Entre os dias 6 e 8 de junho, a Embrapa Pecuária Sul vai participar, em um estande institucional, da 27º edição do seminário Pastos & Pastagens e 16ª Lavoura em Evolução, em Dom Pedrito-RS. O evento contempla distintos temas sobre a agropecuária, como mercado, expectativas sobre o clima, política agrícola, plantio de soja com suavização de solo, soja irrigada na várzea, intensificação da cria, pastagens perenes e a diversificação necessária para viabilizar o negócio. O evento é promovido pela Associação de Produtores de Dom Pedrito e Sindicato Rural.

Após a abertura, dia 06 de junho, às 19h30min, ocorrerá a palestra da chefe-adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Territorial (Campinas-SP), Lúcia Magalhães. A pesquisadora abordará o tema “Desfazendo mitos: a verdade sobre o uso e ocupação das terras do Brasil”. Entre os demais destaques da Embrapa está a palestra “Mais solos, mais pastos e mais lavoura”, do pesquisador da Embrapa Pecuária Sul Danilo Sant´anna e da professora Amanda Martins, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), que acontece no dia 07, às 13h30min. A discussão abordará a importância das pastagens para o melhoramento dos solos e a otimização das lavouras.

Segundo Danilo Sant´Anna, este é um título provocativo que, na verdade, remete à ideia de que a fertilidade dos solos é realmente melhorada através de uma produção de pasto mais duradoura e intensificada nas áreas. “Uma vez que estes pastos melhorem os solos, as lavouras que vêm depois vão se beneficiar desta fertilidade que foi construída na fase de pastagens. Pastos conseguem melhorar os solos mais intensamente do que plantas de lavouras, devido ao volume de raízes, presença de animais na ciclagem de nutrientes, já que estes aceleram os processos de crescimento das raízes e da incorporação de nutrientes, da formação de matéria orgânica e agregados de solo, e isso reflete na qualidade das lavouras que vêm depois”, garante.

O outro destaque da Embrapa será uma oficina, neste mesmo dia, às 16h45min, na qual o pesquisador da Embrapa Clima Temperado José Maria Barbat Parfitt abordará a suavização de solo como ferramenta para viabilização da soja em área de arroz.

Estande
Os visitantes poderão conferir no estande da Embrapa Pecuária Sul, a partir do dia 07 de junho, o tema Qualidade de sementes forrageiras de clima temperado e sua importância para a formação de um bom pasto. “Sobre a qualidade de sementes, o nosso foco é trabalhar, além da questão genética, que remete às cultivares que foram desenvolvidas e estão no mercado, a questão da qualidade fisiológica, que diz respeito à germinação e ao vigor de sementes. É importante que as sementes tenham não só alta germinação, mas também alto vigor. Isso porque é ele que vai garantir o estabelecimento da pastagem mais rápido, de forma mais vigorosa, mesmo em situações de estresse para as plantas. Por exemplo, uma profundidade de semeadura muito grande, ou uma chuva em excesso após o plantio”, destaca o chefe de Transferência de Tecnologia e pesquisador da Embrapa Pecuária Sul, Gustavo Silva.

Também será possível conferir em vasos algumas espécies forrageiras para a produção pecuária, como as novas cultivares de leguminosas (URS BRS Posteiro de cornichão e BRS Piquete de trevo-vesiculoso) e a cultivar de gramínea BRS Estribo de capim-sudão, lançadas pela Embrapa em parceria com a UFRGS e a Sulpasto.

Os visitantes poderão conferir no estande outra tecnologia da Embrapa que é a régua de manejo de forrageiras. Essa ferramenta mostra de forma didática as diferentes alturas ideais do pasto, de acordo com a espécie forrageira utilizada no campo. Desta forma, o pecuarista consegue ver o melhor momento de entrada e retirada dos animais tanto para o melhor aproveitamento da forragem, quanto para proteção e estímulo da planta.

“Estas três tecnologias estão alinhadas com o tema da palestra ‘Mais solos, mais pastos, mais lavoura’, que visa proporcionar um pasto mais duradouro e forragem o ano todo. Por isso daremos ênfase, primeiramente, às sementes, pois elas são necessárias para formarmos a pastagem. Em seguida falaremos sobre a qualidade genética, que é trazida pelas cultivares. Para isso, daremos opções de quais o produtor pode escolher. E após a formação da pastagem, trataremos sobre o manejo da pastagem, mediante o uso da régua”, explica Silva. Tais tecnologias (cultivares, sementes de alta qualidade e a régua) são também subsídio para discutir a perspectiva do Pasto sobre Pasto, abordagem que visa produzir pasto o ano todo, ao se encadear diferentes cadeias forrageiras e assim evitar o vazio forrageiro.

Para o atendimento ao público estarão presentes os analistas da Embrapa Pecuária Sul Lisiane Brisolara e Marco Antônio Lucas. No local ainda serão ofertados materiais e publicações técnicas e institucionais.

Manuela Bergamim (1951/ES)
Embrapa Pecuária Sul

Contatos para a imprensa

Telefone: +55 53 3240-4650

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/