27/12/19 |

Embrapa Territorial participa do ZEE do Amapá

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Dulcivânia Freitas

Dulcivânia Freitas -

O pesquisador Sérgio Tôsto, da Embrapa Territorial (Campinas, SP), participou, em 19 de dezembro, na Embrapa Amapá (Macapá, AP), de reunião de definição de cronograma de atividades do Zoneamento Ecológico-Econômico do Estado do Amapá (ZEE/AP) para 2020. 

Na reunião, em que Tôsto detalhou o planejamento operacional do ZEE Amapá, foram definidas a realização de workshop, em fevereiro de 2020, em Macapá, e audiências públicas em municípios polos, com o objetivo de coletar sugestões para a operacionalização do plano de ação do ZEE.

Participaram da reunião coordenadores do ZEE/AP, pontos focais de temas e técnicos de várias instituições locais que geram dados e informações a serem acessados durante os dois anos e meio do trabalho. O contrato de prestação de serviços entre a Embrapa, Governo do Amapá e Fundação Eliseu Alves (FEA). para executar o ZEE Amapá, foi assinado em 3 de dezembro deste ano.

Também fazem parte dos estudos, pesquisas e elaboração de documentos, equipes da Embrapa Territorial, sediada em Campinas (SP), e da Embrapa Amazônia Oriental, sediada em Belém (PA), como também técnicos de instituições estaduais de ensino e pesquisa como o Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (Iepa), Universidade Federal do Amapá (Unifap), Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan) e Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema). 

O ZEE servirá de instrumento para licenciamentos e investimentos do Governo do Estado, de investidores privados, órgãos de pesquisas, e outros segmentos nos meios rural e urbano. Em linhas gerais, o Zoneamento vai ordenar oficialmente o território do Amapá, contemplando os aspectos econômicos, sociais e ambientais. 
Base Cartográfica 

O ZEE proposto para o Amapá será realizado em escala 1:250.000, elaborado segundo as diretrizes do Ministério do Meio Ambiente para zoneamentos estaduais. O secretário estadual de Meio Ambiente, Robério Nobre, ressaltou que o projeto do ZEE deve ser apropriado pela sociedade em geral, gerando impactos em diversos segmentos. Na ocasião, Nobre fez a entrega da Base Cartográfica do Amapá ao pesquisador Sérgio Tosto. Trata-se de uma plataforma de dados georreferenciados de todo o território estadual, elaborada pelo Exército.

A plataforma já tem mapeados 75 mil quilômetros quadrados do território amapaense com informações sobre população, água, solo, vegetação, entre outras, acompanhadas de imagens aéreas e de satélite. Os mapas cartografados na escala 1:50000 abrangem informações e imagens de aproximadamente metade do território amapaense. A predominância desta escala é de dados de florestas e unidades de conservação. A outra metade será executada também pelo Exército numa escala mais precisa: 1:25000, cujo foco se concentrará nos perímetros urbanos dos municípios amapaenses, onde serão mapeadas todas as estradas, ramais e assentamentos e cidades do Estado.

Dulcivânia Freitas (DRT-PB 1.063/96)
Embrapa Amapá

Liliane Castelões (16.613 MTb/RJ)
Embrapa Territorial

Contatos para a imprensa

Telefone: 19 3211-6200

Dulcivânia Freitas (DRT-PB 1.063/96)
Embrapa Amapá

Contatos para a imprensa

Telefone: 96-3203-0287

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/