22/12/20 |

Solidaridad Brasil desenvolve trabalhos com erva-mate nos Estados do Sul

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Solidaridad Brasil

Solidaridad Brasil -

O trabalho com erva-mate do Solidaridad Brasil, uma organização da sociedade civil que há 50 anos atua em dezenas de países desenvolvendo cadeias de produção sustentáveis, foi apresentado em 19/11, durante o 3º Painel do evento on-line "Erva-mate XXI: inovação e tecnologias para o setor ervateiro".

Segundo o palestrante Gabriel Dedini, no Brasil, o Solidaridad atua há 11 anos, em trabalhos com cacau, café, cana, algodão, soja, pecuária, laranja e, desde 2019, com a erva-mate. O Projeto intitulado Erva-mate Brasil – Fortalecendo Boas práticas na cadeia produtiva da erva-mate conta com o financiamento da Coca-Cola e da Leão Alimentos e Bebidas.

Dedini explicou que a razão do envolvimento de uma grande marca como a Coca-Cola com o agricultor lá no campo, é buscar construir a cadeia e mitigar os riscos do negócio: “Ela se relaciona muitas vezes com ervateiros de cunho familiar, além disso, é uma sucessão familiar que no fim vai sustentar uma grande marca no mercado. Então o trabalho do agricultor e da agricultora familiar é substancialmente importante para sustentação e mitigação de qualquer risco de negócio de uma grande marca do setor privado”, explica.

O Projeto Erva-mate Brasil, que conta com a parceria da Embrapa Florestas, é composto por três pilares: direitos humanos e trabalhistas, meio-ambiente e boas práticas agrícolas e de gestão. De acordo com Gabriel Dedini, o objetivo é fortalecer a produção sustentável e responsável da erva-mate nos três estados do Sul do Brasil, através da melhoria de desempenhos técnicos e socioambientais. O primeiro passo dos trabalhos foi realizar um diagnóstico, com os riscos e oportunidades. “Nosso intuito foi o de desenvolver uma atividade que faça sentido para o produtor, com um olhar sensível para os pontos que a marca Coca-Cola e Leão trazem como princípios de ética e de mercado”, diz.

O diagnóstico explorou as microrregiões produtoras nos três estados, gerando um material detalhado, em diferentes aspectos de análise. Com base nessa estrutura, a fundação Solidaridad começou a desenvolver um conteúdo de soluções digitais. Para os produtores de erva-mate foi criado o Farm Solution, um aplicativo que promove uma autoavaliação em cima de indicadores predefinidos junto a parceiros. O app estimula que o produtor possa, aos poucos, aumentar seu desempenho, de acordo com uma escala. No entanto, o Solidaridad esbarrou no problema de que nem todos os produtores tinham acesso à internet, tampouco a um smarthphone. A partir disso, a segunda estratégia foi trazer o Extention Solution, outro aplicativo semelhante, porém voltado para utilização pelo extensionista junto ao produtor, buscando também promover uma autoavaliação.

De acordo com Dedini, para auxiliar os trabalhos, foi realizada uma articulação setorial buscando maior inserção no campo, além da melhor qualidade nesse serviço oferecido. Para isso, desenvolveram termos de cooperação, envolvendo a Embrapa Florestas, Emater-RS/Ascar, IDR, Ibramate, Reserva da Bioesfera da Mata Atlântica, em parceria com a Coca-cola e a Leão. Outra ação consistiu em trabalhos de sensibilização e engajamento, em que o grupo conseguiu mostrar a proposta de atuação, em parceria com grandes nomes do setor. “Isso favoreceu bastante a inserção do Solidaridad no mundo da erva-mate e, a partir desse momento, conseguimos o envolvimento de 150 famílias produtoras e conseguimos também realizar trabalhos com força e empenho”, conta.

Com o lockdown imposto pelo novo coronavírus, em 2020, o Solidaridad realizou uma adaptação do trabalho de engajamento, por meio da digitalização, através de eventos on-line, como lives e um maior uso da comunicação via Whatsapp para uma rede de agricultores. Além da disponibilização de materiais customizados, como o Erva 20 e o caderno de campo, outra ação tem sido no intuito de despertar o senso crítico dos produtores, por meio do envio de informações rápidas, buscando manter o público conectado e engajado ao trabalho. Para 2021, Dedini prevê uma construção conjunta com os parceiros. “Queremos construir e consolidar uma nova estratégia de atuação, com uma visão híbrida, buscando reunir tudo o que a gente fez, num contexto prático, in loco, porém, sem jogar fora toda a expertise acumulada ao longo destes meses de pandemia, com essa proposta remota de atuação”, diz.

Assista esta palestra e as demais que compuseram o 3º painel no Canal da Embrapa no Youtube.

O evento foi organizado pela Embrapa Florestas com apoio do IDR Paraná, Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Editado em 06/01/2021 para correção do nome da organização e de pontuação e ortografia, além de relacionamento de conteúdo (Mariana Medeiros).

Manuela Bergamin (MTb 1951/ES)
Embrapa Florestas

Tradução (inglês): Luís Filipe Escobar, sob supervisão de Mariana Medeiros
Secretaria Geral

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

englishinternacionalerva-mate-painel-3solidariedad-brasilgabriel-dedini