24/09/21 |   Agricultura familiar  Agroecologia e produção orgânica

Artigo - Benefícios dos SAFs, mas o que é SAF?

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Milton Parron Padovan

Milton Parron Padovan -

Os SAFs são sistemas agroflorestais biodiversos e possuem alta capacidade para melhorar o meio ambiente. São formados por plantios de diversas/diferentes espécies vegetais na mesma área e, ao mesmo tempo (consórcios). Nesses sistemas incluem-se árvores e arbustos nativos ou exóticos e culturas agrícolas de diferentes ciclos.

A escolha das espécies vegetais para compor um sistema agroflorestal depende dos objetivos de cada agricultor(a). Uma das estratégias mais adotadas é a implantação de grande diversidade de espécies de árvores e arbustos, bem como de culturas agrícolas.

Ao iniciar um SAF, são implantadas as espécies vegetais para fins agrícolas (exemplos: batata doce, rúcula, cebolinha, açafrão, gengibre, abóboras, milho, feijões, mandioca, couve, banana, citros, entre outras) e, ao mesmo tempo, as árvores e arbustos destinados à melhoria ambiental.

Quando é feita a colheita de cada espécie agrícola de ciclo curto, implanta-se outra logo após, utilizando-se a rotação de cultivos (exemplos: colhe a batata doce e planta feijões na mesma área; colhe feijões e planta abóboras, e assim por diante).

Nesse processo utilizam-se espécies de ciclo anual (exemplos: podem ser dezenas de hortaliças, espécies produtoras de grãos, entre outras; espécies bianuais (abacaxi, sorgo forrageiro, mandioca para farinha ou amido...), trianuais (mamão, maracujá...) e espécies perenes (banana, citros, coco da Bahia, manga, abacate, entre outras). Assim, o sistema proporciona segurança alimentar e nutricional e viabilidade econômica, pois é possível produzir alimentos e gerar renda continuamente, desde os primeiros meses e até durante décadas.

A boa diversidade vegetal nos SAFs forma diferentes alturas (como se fosse um prédio de vários andares), e as partes aéreas e raízes das plantas, com as diferentes características de cada espécie, somam-se para fortalecer os processos naturais, também chamados de serviços ambientais, resultando em melhorias do meio ambiente.

Um dos importantes serviços ambientais que esses sistemas proporcionam é a melhoria do microclima. Ou seja, tanto a temperatura do ar como a do solo ficam mais estáveis, mais agradáveis aos agricultores(as) e a todas as espécies vegetais cultivadas, bem como aos organismos nativos que vivem nos SAFs, os quais ajudam a melhorar a qualidade do solo e o equilíbrio biológico.

Outro serviço ambiental destacável é a melhoria do ciclo da água, pois facilita a sua infiltração no solo, alimentando o lençol freático e, consequentemente, fortalecendo as nascentes e os mananciais superficiais de água.

Vários estudos também mostram o aumento da fertilidade, estrutura e da vida do solo, melhorando a sua qualidade, reduzindo e até dispensando o uso de fertilizantes.

Com o aumento do equilíbrio biológico nesses sistemas, ocorre baixo ataque de pragas e doenças nos cultivos agrícolas, tornando-se desnecessária a utilização de defensivos e, consequentemente, facilitando a viabilização da produção orgânica.

Ainda, esses sistemas produzem outros serviços ambientais, tais como: melhoria da polinização e aumento da estocagem de carbono no solo e na biomassa das plantas (importante para diminuição de gás carbônico na atmosfera e, consequentemente, diminuição dos impactos com o aquecimento global).

Os sistemas agroflorestais biodiversos podem ser adotados para diversificação da produção agropecuária, recuperação de Áreas de Reserva Legal (ARLs), bem como de Áreas de Preservação Permanente (APPs). Ressalta-se que esses sistemas exercem múltiplas funções em APPs e ARLs, pois possibilitam a produção de alimentos e geração de renda ao mesmo tempo em que recupera essas áreas.

A Embrapa Agropecuária Oeste desenvolve pesquisas com SAFs desde 2007, envolvendo diferentes temas para subsidiar agricultores, técnicos, agentes de crédito (bancos e cooperativas) e governos, com intuito de favorecer adoção desses sistemas e a obtenção dos múltiplos resultados positivos que esses sistemas são capazes de proporcionar.

Destacam- se os seguintes trabalhos:

  1. Identificação de espécies de árvores e arbustos de rápido desenvolvimento, que produzam elevadas quantidades de biomassa, entre outras características desejáveis, destinadas à melhoria ambiental;

Publicação: PADOVAN, M. P.; PEREIRA, Z. V.; FERNANDES, S. S. L. Espécies arbóreas nativas pioneiras em sistemas agroflorestais biodiversos. Revista GeoPantanal, v. 24, p. 53-68, 2018.

 

  1. Identificação e quantificação de serviços ambientais, envolvendo: fertilidade, estrutura, fauna e microbiota do solo; sequestro e estocagem de carbono no solo e na biomassa vegetal;

Publicações:

NASCIMENTO, J. S.; PEREIRA, Z. V.; FERNANDES, S. S. L.; PADOVAN, M. P. Riqueza e estrutura de sistemas agroflorestais biodiversos contribuem para a recuperação de áreas degradadas. Agricultura 4.0, [S.L.], p. 26-45, maio 2020. Pantanal Editora. http://dx.doi.org/10.46420/9786599064159cap2


PADOVAN, M. P.PEREIRA, Z. V.; NASCIMENTO, J. S.; SOARES, J. A. B.; FERNANDES, S. S. L.; ALVES, J. C.; AGOSTINHO, P. R. Potencial de sistemas agroflorestais biodiversos em processos de restauração ambiental. IN: RODRIGUES, T. A.; LEANDRO NETO, J. (Org.). Competência técnica e responsabilidade social e ambiental nas ciências agrárias. Ponta Grossa, PR: Atena Editora, 2019, p. 127-136.

 

 

  1. Valoração de serviços ambientais, como: produção de água; manutenção e melhoria do microclima e da fertilidade do solo, bem como a estocagem de carbono na biomassa vegetal;

Publicações:

OLIVEIRA, G. A.; SILVA, L. F.; AGOSTINHO, P. R.; SOARES, J. A. B.; SERRANO, M. R.; PEREIRA, Z. V.; NASCIMENTO, J. S.; PADOVAN. M. P. Valoração econômica de sequestro de carbono em sistemas agroflorestais biodiversos no bioma Cerrado. IN: SOUSA, C. S.; LIMA, F. S.; SABIONI, S. C. (Org.) Agroecologia: métodos e técnicas para uma agricultura sustentável. Editora Científica Digital, v. 5, 2021. p. 355-366. DOI: 10.37885/210504459 (recebi o comunicado da publicação em: 30/07 - ainda será enviado para registro no AINFO).

 

SOARES, J. A. B. Valoração de serviços ambientais em sistemas agroflorestais: Uma abordagem do método de valoração contingente. 2020. 75 f. Dissertação (Mestrado em Agronegócios). Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.

 

  1. Proposição de arranjos agroflorestais biodiversos destinados à diversificação da matriz de produção agropecuária, restauração de áreas de preservação permanente e de áreas de reserva legal, com viabilidade econômica.

 

Publicações:

CAMARGO, G. M.; SCHLINDWEIN, M. M.; PADOVAN, M. P.; SILVA, L. F. Sistemas agroflorestais biodiversos: uma alternativa para pequenas propriedades rurais. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, v. 15, n. 1, p. 34-46, 2019.

MAYER, T. S. Sistemas agroflorestais biodiversos: alternativa viável para recuperação de passivos ambientais. 2019. 80 f. Dissertação (Mestrado em Biologia Geral-Bioprospecção). Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.

ALENCAR, A. de O. Arranjos de sistemas agroflorestais biodiversos para recuperação de áreas de reserva legal. 2018. 52 p. Dissertação (Mestrado em Biologia Geral-Bioprospecção). Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, MS.

ALVES, J. C.; SOARES, J. A. B.; FEIDEN, A.; PADOVAN, M. P. Sistemas agroflorestais biodiversos: segurança alimentar e bem-estar às famílias agricultoras. Revista GeoPantanal, v. 14, p. 75-94, 2019.

 

Milton Parron Padovan (Pesquisador)
Embrapa Agropecuária Oeste

Contatos para a imprensa

Telefone: (67) 9-9944-9224

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

safapparlsaf-biodiverso

Avalie esta notícia:

Média (0 Votos)