27/05/22 |   Transferência de Tecnologia

Reprodução e sanidade animal chegam em Encontro Tecnológico

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

A inseminação artificial é uma ferramenta de manejo que chegou para agregar e com a adoção e o uso da tecnologia, a estação de monta tende a encurtar-se e tornar-se mais eficiente. A técnica permite o melhor planejamento dos acasalamentos e, consequentemente, dos partos e demais manejos e atividades que precisam ser realizadas.

“Quando bem conduzida traz muitos benefícios”, afirma a pesquisadora Alessandra Nicácio, da Embrapa Gado de corte. A pesquisadora diz que a metodologia é mais onerosa que a monta natural, porém apresenta várias vantagens, como o melhor aproveitamento de mão de obra, concentração de nascimentos em um mesmo período, lotes mais homogêneos, facilidade no diagnóstico de gestação, controle e descarte de vacas, bezerros de melhor potencial, além de indicar que na IATF, esses animais podem ser mais pesados na desmama.

Para a médica-veterinária Nicácio vale investir na IATF em função dos benefícios que a tecnologia oferece ao rebanho. Além dela, há outras tecnologias com a finalidade de melhorar a genética do rebanho que estão disponíveis como a Transferência de embriões (TE) e a Produção in vitro de embriões (PIV), sendo o Brasil, o maior produtor mundial de embriões in vitro

 

Calendário

O sucesso da ferramenta é potencializado com o uso do Calendário de Manejos Reprodutivo, Sanitário e Zootécnico, que permite planejamento e acompanhamento das atividades relacionadas a bovinos de corte em uma propriedade rural. Gratuito, o Calendário está em planilha editável, tem a estação de monta como referência do planejamento, e é organizado em manejos reprodutivo, sanitário e zootécnico e por categorias animais - maternal, desmama, pós-desmama e sobreano - além de touros e matrizes. A ferramenta também é diferenciada por cores e lotes para facilitar o entendimento e a identificação das atividades para cada categoria dentro de determinado mês. 

“O processo de diagnóstico, desde a história clínica dos animais até a interpretação dos resultados dos exames, balizou toda a construção do modelo de calendário apresentado. Foi um instrumento clínico e epidemiológico. Saímos do campo das suposições e dados pulverizados e tivemos como comparar o antes e o depois em diferentes condições de criação”, conta Vanessa Felipe, também médica-veterinária da Embrapa Gado de Corte. 

Esses dois temas estão no segundo dia do Interagro e os participantes conhecerão ainda o rebanho Nelore PO da Unidade da Embrapa e os animais da Prova de Avaliação de Desempenho (PAD), com os pesquisadores Eriklis Nogueira e Ana Paula Souza (Geneplus Ltda.). Os animais com superioridade genética, são criados a pasto na fazenda Modelo da Embrapa, e apresentam, superioridade genética para precocidade, desempenho (ganho de peso) e rusticidade.

Dalízia Aguiar (MTb 28/03/14/MS)
Embrapa Gado de Corte

Contatos para a imprensa

Telefone: +55 67 3368-2144

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/