Métodos moleculares para detecção de adulterantes, de grãos de baixo valor de mercado e determinação da composição em arábica e robusta em blends de café torrado e moído

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Atualmente, os métodos existentes para controlar as adulterações com alimentos ou a adição de alto percentual de PVA ou de café robusta não possuem grande eficácia ou dependem de equipamentos de última geração e de alto custo. Os métodos convencionais de identificação de adulterantes utilizando técnicas de reconhecimento de padrões de cores e imagens características são subjetivas e, consequentemente, dependentes da experiência do analista e sujeito a erro humano. Além dos métodos visuais, existem os métodos baseados na determinação de marcadores químicos, tais como alguns carboidratos e compostos voláteis, identificados por cromatografia líquida e gasosa. No entanto, métodos baseados em tais técnicas não permitem a identificação dos adulterantes individuais e sua quantificação, sendo também sujeitos a efeitos de matriz devido ao processamento. Em relação à detecção de adição de altos percentuais de PVA e de café robusta em relação ao café arábica de boa qualidade não são aplicados na análise da qualidade do café, somente métodos sensoriais. Em 2010, a Instrução Normativa nº 16, de 24/5/2010, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), visando a garantia da qualidade para o café torrado e moído, e estabeleceu como 1% o percentual máximo permitido em conjunto de impurezas (cascas e paus), sedimento (pedras, torrões e areia) e matérias estranhas (milho, centeio, açúcar, cevada, sementes de açaí, entre outras). Essa Normativa foi revogada no início de 2013 e a legislação vigente está sendo discutida, com uma expectativa de ser publicada e normatizada considerando apenas a detecção. Com uma legislação cada vez mais restrita, há uma demanda urgente por métodos com maior sensibilidade na detecção de contaminantes e adulterações. A tecnologia do DNA recombinante tem sido utilizada para a determinação da autenticidade de alimentos processados. No entanto, esta abordagem analítica ainda não foi utilizada para detecção de adulterantes em café. Desta forma, o objetivo geral deste projeto é desenvolver e validar métodos sensíveis para a detecção de adulterantes, defeitos e determinação da composição de arábica e robusta em café torrado e moído, usando a a técnica PCR em tempo real, e caso a nova legislação decida apenas pela detecção de contaminantes para garantir a qualidade do café, um método baseado em CLAE-ES, pode ser uma alternativa bastante eficiente e sensível.

Situação: em execução Data de Início: Wed Jan 01 00:00:00 BRST 2014 Data de Finalização: Mon Dec 31 00:00:00 BRST 2018

Unidade Lider: Embrapa Agroindústria de Alimentos

Lider do Projeto: Edna Maria Morais Oliveira

Contato: edna.oliveira@embrapa.br

Galeria de imagens