Pesquisa e Inovação para Aprimoramento da Taxonomia de Solos Brasileiros.

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

imagem

Foto: FAVARIN, Aurélio Martins

Classificação é um requerimento básico e essencial de toda a ciência, necessitando de constante revisão e atualização à medida que o conhecimento avança. E assim também se dá para a ciência do solo. Especificamente para o Brasil, sua dimensão continental associada à juvenilidade da Pedologia brasileira e, consequentemente, das pesquisas a ela relacionadas e atual nível de desconhecimento dos solos do país, justificam a inversão de recursos humanos e financeiros para a revisão e atualização da recente terceira edição do Sistema Brasileiro de Classificação do Solo (SiBCS), publicada em 2013. Um projeto desta natureza deveria mesmo fazer parte de um Programa Nacional, dada sua RELEVÂNCIA e CARÁTER DINÂMICO, requerendo ações continuadas para incorporar atualizações e proceder a revisões à medida que o conhecimento dos solos brasileiros evolui. Em termos de RELEVÂNCIA do SiBCS, cujo livro é tradicionalmente publicado pela Embrapa, argumenta-se que é um dos mais vendidos da Instituição devido à ampla aceitação nacional e às constantes revisões a que foi submetido, sendo utilizado em todas as universidades e instituições públicas e privadas de pesquisa e extensão brasileiras afeitas ao tema. A DINAMICIDADE inerente a um sistema taxonômico de solos coaduna com a evolução do conhecimento das inúmeras pesquisas desenvolvidas nos outros campos da Ciência do Solo, como a física, a química e a mineralogia de solos, já que proporcionam a base para a identificação e seleção de atributos diagnósticos apropriados para a adequada classificação dos solos, especialmente para o estabelecimento de limites de classes. E esse será um dos objetivos desta proposta: induzir e realizar pesquisas básicas e inovadoras em química, física e mineralogia de solos, direcionadas à revisão e atualização do SiBCS. Para tal, diversos pesquisadores/usuários do SiBCS de Universidades e Unidades da Embrapa foram convidados e inseridos nesta proposta a fim de direcionar suas pesquisas (algumas já em andamento) à solução de problemas já prospectados no SiBCS, tanto em métodos analíticos como em gênese e morfologia de solos. Os conhecimentos e conceitos de gênese de solo definem a estrutura de um sistema de classificação, daí sua relevância nesta proposta, concentrando seu estudo aos solos e ambientes pouco conhecidos no Brasil, como o Pantanal, a Restinga e a Amazônia. Ao conjunto dessas pesquisas acrescentam-se a organização e realização de duas Reuniões de Classificação e Correlação de Solos (XI RCC a ser realizada em Roraima e XII RCC a ser realizada em Rondônia/sul do Amazonas) e as pesquisas a elas relacionadas. As RCCs tradicionalmente são as molas propulsoras de atualizações do SiBCS ao mesmo tempo que possibilitam sua validação, divulgação e a congregação dos principais pedólogos brasileiros. A metodologia para validar e incorporar as alterações propostas para atualização do SiBCS, advindas das inúmeras pesquisas desenvolvidas no Projeto (que apresentam material e métodos próprios), compreenderá suas discussões em quatro reuniões presenciais entre os membros do Comitê Executivo de Classificação de Solos, amplamente divulgando-as por meio de um site do Projeto, em publicações e em cursos presenciais nas diferentes regiões brasileiras. Espera-se que esta proposta seja um marco na Pedologia brasileira, congregando os principais pedólogos do país e estimulando-os (e aos seus alunos) em torno de um objetivo comum: a constante atualização, a divulgação e a popularização do SiBCS.

Situação: concluído Data de Início: 11/2014 Data de Finalização: 10/2018

Unidade Lider: Embrapa Solos

Líder de projeto: Mauricio Rizzato Coelho

Contato: mauricio.coelho@embrapa.br

Galeria de imagens