Melhoramento genético de batata para ecossistemas tropicais e subtropicais do Brasil.

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

imagem

Foto: LANZETTA, Paulo

A produção brasileira de batata é orientada ao mercado interno. A maior parte das 3,6 milhões de toneladas é comercializada “in natura”; apenas 15% é destinada à indústria (palitos pré-fritos, 52%; “chips”, 34%; batata palha, 14%). O consumo de batata adquirida “in natura” tem diminuído, ao passo que de batata processada tem aumentado significativamente, principalmente de palitos pré-fritos congelados. O consumo de batata “chips” tem crescido pouco, enquanto que o de batata palha continua aumentando. O mercado destes dois produtos é suprido pela indústria nacional, ao passo que o de batata palito pré-frito depende de importação, em 75%. A batata mais ofertada no mercado “in natura” não atende devidamente aos consumidores, comerciantes e produtores. Quanto à matéria-prima para a indústria de palitos pré-fritos, a situação é ainda mais grave e tem limitado o crescimento dessa indústria no País. O mercado brasileiro é dominado por cultivares estrangeiras que exigem uso intenso de insumos para alta produtividade, reduzindo a sustentabilidade e elevando custos de produção da cultura. Portanto, a obtenção de cultivares, melhores adaptadas às condições ecológicas e tecnológicas de cultivo nas diversas regiões produtoras, é a melhor alternativa para tornar a cultura mais produtiva e rentável ao produtor e viável à indústria. Sendo assim, o objetivo geral deste projeto é contribuir para o aumento da competitividade e da sustentabilidade da cadeia da batata, por meio do desenvolvimento de novas cultivares para mercado “in natura” e processamento industrial.

Situação: concluído Data de Início: 08/2016 Data de Finalização: 07/2020

Unidade Lider: Embrapa Clima Temperado

Líder de projeto: Arione da Silva Pereira

Contato: arione.pereira@embrapa.br

Galeria de imagens