Conservação on farm de variedades crioulas em comunidades rurais: valorizando o papel do agricultor na conservação das sementes

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

imagem

Foto: PORPINO, Gustavo

Promover a implantação de Bancos Comunitários e Familiares de Sementes on farm como uma alternativa de qualidade para a agricultura familiar. Essa é a intenção deste projeto, que pretende estudar como o armazenamento na própria propriedade pode ser bem-sucedido, sem que haja problemas na conservação fisiológica do material. O campo de ação envolve cinco regiões do Estado do Rio de Janeiro (Serramar, Costa Verde, Serrana, Metropolitana e Norte), além do município de Ubatuba, em São Paulo, que também faz parte da Costa Verde. Os estudos serão desenvolvidos em conjunto com agricultores de base ecológica, comunidades indígenas, quilombolas, guardiões e responsáveis locais por bancos de sementes.
Sabe-se que os bancos comunitários de sementes representam uma importante estratégia de fortalecimento da diversidade e da segurança familiar de pequenos agricultores e comunidades tradicionais, possibilitando o acesso a sementes e o uso de plantas alimentícias espontâneas. Atuam, assim, como espaços de resistência à perda da biodiversidade e de fortalecimento das relações de cooperação e solidariedade, de recuperação de sementes e de saberes perdidos. No entanto, há relatos que apontam para a perda de viabilidade das sementes devido ao armazenamento inadequado e ao ataque de pragas e doenças que acabam afetando sua disponibilidade, assim como a perda de variedades tradicionais locais importantes.
As atividades previstas neste projeto foram planejadas de modo a promover o diálogo e a socialização das experiências entre seus membros, os agricultores e as comunidades envolvidas. Foram pensadas ações envolvendo resgate de variedades crioulas, conservação on farm, estruturação de bancos comunitários e familiares, bem como trocas de sementes, aliadas a pesquisas sobre processos simples e eficientes de conservação fisiológica do vigor e da integridade do material. Espera-se, com isso, fomentar a conservação local e o resgate de variedades crioulas importantes para a conservação da agrobiodiversidade, da autonomia e da segurança alimentar dos agricultores familiares e indígenas das regiões abrangidas.

Ecossistema: Floresta Atlântica

Região: Sudeste

Situação: em execução Data de Início: Mon Jan 01 00:00:00 BRST 2018 Data de Finalização: Thu Dec 31 00:00:00 BRST 2020

Unidade Lider: Embrapa Agrobiologia

Lider do Projeto: Ana Cristina Siewert Garofolo

Contato: ana.garofolo@embrapa.br

Galeria de imagens