Estratégias para recuperação de áreas degradadas pela exploração e produção de petróleo na Caatinga

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

imagem

Foto: BIROLO, Fernanda Muniz Bez

A recuperação de jazidas de piçarra na Caatinga, cujo material é utilizado como reforço ao apoio das unidades de bombeio (cavalos) que extraem petróleo em terra e também para a construção de acessos a esses locais, é o foco deste projeto, que é uma continuação do trabalho iniciado em 2007 pela Embrapa Agrobiologia, em parceria com a Petrobras UN-RNCE e a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa). A intenção é buscar soluções sustentáveis para recuperar as jazidas após a retirada da piçarra, devolvendo à sociedade um ambiente equilibrado.
No projeto anterior, além da produção de mudas em viveiro, foram realizados ensaios para avaliar mecanismos de quebra de dormência de sementes e a adequabilidade de substratos para a produção das mudas. Na segunda etapa, foram montados experimentos em seis jazidas de piçarra para estudar fatores como a seleção de espécies arbóreas adequadas, adubação e critérios para adição da camada superficial de solo ( topsoil).
Neste novo projeto, o objetivo é dar continuidade aos estudos, de modo a resolver gargalos ainda existentes e melhorar a qualidade das informações geradas nas primeiras etapas. Dentre os estudos propostos, inclui-se a continuidade do monitoramento das áreas experimentais, visando à avaliação em longo prazo do desenvolvimento e sobrevivência das espécies introduzidas e do efeito desses plantios no recrutamento natural de novas espécies e na recuperação do substrato dos ambientes degradados.
Propõe-se também a instalação de novos ensaios de campo, com o objetivo de ampliar a base de recomendação de espécies arbóreas e arbustivas nativas de rápido crescimento com potencial de uso na revegetação das áreas de jazidas e de poços de produção já encerrados. Nesse aspecto, será dado um foco especial para espécies da família Fabaceae (Leguminosae), devido à sua capacidade de fixar nitrogênio simbioticamente. Em paralelo, será testada a eficiência de diversas técnicas de restauração ecológica dos ambientes degradados.
O projeto objetiva ainda avaliar o potencial de produção de espécies arbóreas para fins madeireiros em áreas degradadas da Caatinga e o consorciamento destas com espécies forrageiras, possibilitando a implantação futura de sistemas silvipastoris. O estímulo ao plantio de tais espécies, sob a forma de plantios homogêneos, consorciados ou silvipastoris, constitui-se na possibilidade de oferta de alternativas para reduzir a pressão de desmatamento sobre a Caatinga nativa.

Situação: concluído Data de Início: 05/2016 Data de Finalização: 04/2020

Unidade Lider: Embrapa Agrobiologia

Lider do Projeto: Guilherme Montandon Chaer

Contato: guilherme.chaer@embrapa.br

Galeria de imagens