Conservação de recursos genéticos animais (ex situ)

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

O Brasil possui diversas raças de animais domésticos que se desenvolveram a partir de raças trazidas pelos colonizadores portugueses na época do descobrimento. Ao longo dos séculos, essas raças vêm sendo submetidas à seleção natural nos ambientes em que vivem a ponto de apresentarem características específicas de adaptação a tais condições. Por isso, passaram a ser conhecidas como "crioulas", "locais" ou "naturalizadas".

Atualmente, muitas estão ameaçadas de extinção, pois ao longo dos séculos, foram substituídas por outras consideradas mais produtivas. Entretanto, podem ser consideradas verdadeiros tesouros genéticos, pois possuem características de rusticidade e adaptabilidade muito importantes para programas de melhoramento genético no Brasil.

Com a finalidade de evitar o desaparecimento dessas raças, a Embrapa criou ha 20 anos um programa de pesquisa denominado "Conservação e Uso de Recursos Genéticos Animais".

O programa resultou no estabelecimento de uma rede de núcleos de conservação espalhados por todo o país, que abastecem com sêmen e embriões o Banco de Germoplasma Animal (BGA) e com sangue o Banco de DNA localizado no Laboratório de Genética Animal (LGA), ambos localizados na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, em Brasília, DF.

O presente projeto tem como objetivo garantir a continuidade das atividades de conservação ex situ, com foco em ações mais diretas junto a cada núcleo de conservação. Além da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, participam indiretamente do projeto outras unidades da Embrapa, empresas estaduais de pesquisa, universidades e criadores particulares.

A participação dos parceiros é determinante para a conservação dos recursos genéticos animais, já que além de contribuírem com a doação de material genético (sêmen, embriões e DNA), têm um papel determinante na reinserção das raças crioulas no setor produtivo.

O projeto conta com três planos de ação, que visam especificamente: (1) o enriquecimento do BGA, (2) o enriquecimento do Banco de DNA, e (3) a documentação e informatização destes Bancos. É também objetivo do projeto manter um número reduzido de animais de cada uma das raças conservadas no Campo Experimental Fazenda Sucupira para que sejam utilizados como doadores de germoplasma, além de servirem para conscientizar a sociedade sobre a importância da conservação de recursos genéticos animais.

A principal meta deste projeto é aumentar a variabilidade genética do material armazenado no BGA, assim como disponibilizar seu DNA para a caracterização molecular das principais raças naturalizadas brasileiras, visando a sua reinserção nos sistemas de produção vigentes no país.

Situação: concluído Data de Início: Thu Jan 01 00:00:00 BRST 2009 Data de Finalização: Thu Dec 31 00:00:00 BRST 2015

Unidade Lider: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia

Lider do Projeto: Alexandre Floriani Ramos

Contato: alexandre.floriani@embrapa.br