Geração de tecnologias para recuperação de áreas degradadas utilizando pinhão-manso e gramíneas na região de Gilbués, Piauí, Brasil.

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

imagem

Foto: LAVIOLA, Bruno Galveas

O período de execução deste projeto - 2009 a 2013 - não foi suficiente para avaliar a produtividade de pinhão manso, que pode viver até 50 anos; entretanto obteve-se uma produtividade média, em 2013, das áreas consorciadas: capim nativo, Brachiaria decumbens, Brachiria brizantha, cultivar Piatã e Andropogon gayanos, de 1.470 kg ha. Portanto, as sementes de pinhão manso possuem cerca de 28 a 35% de óleo, considerando um teor de 30%, estima-se uma produtividade média de óleo de 440 kg ha-1, no seu quarto ano após o plantio, em área degrada no município de Gilbues, PI, localizado na região Sudoeste do Estado do Piauí. Entre as gramíneas avaliadas, a melhor foi, o capim andropogon, que é de grande importância para a alimentação dos animais, cobertura do solo e fixador de carbono, além plantio, em área degrada no município de Gilbues, PI, localizado na região Sudoeste do Estado do Piauí. Entre as gramíneas avaliadas, a melhor foi o capim Andropogon, apresentando maior altura e peso médio de matéria seca que as demais, alem de ter uma forte propagação, soltando sementes em locais fora da área inicial que foi plantado. Tendo em vista também que na região a bovinocultura de corte faz parte da economia regional de produzir alimentos para a macro e microfauna. Dentre os consórcios avaliados o de pinhão manso com capim Andropogon foi o que se destacou, por apresentar crescimento rápido e capaz de contribuir para diminuição dos processos de degradação e redução da erosão laminar e melhorar as condições físico-químicas do solo.

Ecossistema: Meio Norte

Situação: concluído Data de Início: 11/2009 Data de Finalização: 10/2012

Unidade Lider: Embrapa Meio-Norte

Lider do Projeto: Marcos Emanuel da Costa Veloso

Contato: marcos.emanuel@embrapa.br

Galeria de imagens