Avaliação dos impactos ambientais, econômicos e sociais dos sistemas de produção de bovino de corte no Cerrado, na Amazônia e no Pantanal

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

imagem

Foto: CHAGAS, Ana carolina de Souza

Essa proposta procura viabilizar soluções tecnológicas para uma bovinocultura de corte competitiva, fazendo uso racional do meio ambiente e dos recursos regionais e preservando a fauna e a flora do Cerrado, da Amazônia e do Pantanal. A pecuária de corte possui expressivo papel social e econômico, gerando mais de 6 milhões de empregos e contribuindo com mais de US$ 3 bilhões para as exportações do país. O Cerrado é atualmente a principal região para a pecuária de corte nacional. Existe oportunidade para o estabelecimento de estratégias nacionais visando ao aumento da competitividade da pecuária de corte devido à grande flexibilidade dessa atividade. Atualmente, ao lado do sistema tradicional de produção sobre pastagens extensivas, ganham expressão várias outras alternativas: integração lavoura-pecuária, confinamento, semi-confinamento, pastagens intensificadas e sistemas silvipastoris. As vantagens de cada sistema se estabelecem em função da condição local de recursos, preços e mercado. O foco da proposta é, nesse contexto, comparar os impactos ambientais, sociais e econômicos dos diferentes sistemas visando à identificação daqueles mais adequados para cenários específicos, no sentido de auxiliar na formulação de políticas públicas e programas para o setor e tem como beneficiários principais os tomadores de decisão nos âmbitos nacional e regional e, indiretamente, os agricultores e a sociedade em geral.

Galeria de imagens