Efeito da adubação potássica na produção de matéria seca de mudas de seringueira.

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Autoria: ALVES, V. M. C.; SANTANNA, C. A. F.; SENA, J. S. P.; BRAGA, J. M.

Resumo: Registros na literatura tem demonstrado que o potassio e um elemento importante na nutricao da seringueira, sendo absorvido e exportado em grandes quantidades. No entanto, a maioria dos resultados de pesquisa com adubacao potassica apresentam uma frequencia de respostas relativamente baixas e/ou as vezes nao apresentam respostas a aplicacao do nutriente. Por se tratar de uma especie arborea, a seringueira demonstra uma baixa taxa de crescimento ao longo do ciclo, o que torna de primordial importancia a absorcao dos nutrientes, principalmente o nitrogenio e o potassio, que tem reflexos diretos no seu desenvolvimento. Apesar das respostas nao serem significativas, o emprego da adubacao potassica deve ser realizada na seringueira, afim de maximizar o crescimento da planta como resultado do equilibrio entre NPK, alem de reprimir uma absorcao do magnesio. Visando avaliar o efeito de seis doses crescentes de potassio aplicados em mudas de seringueira, foi instalado um experimento em casa de vegetacao na Fazenda Experimental da EPAMIG, no municipio de Ponte Nova-MG, utilizando Latossolo Vermelho-Amarelo, distrofico, textura muito argilosa. As doses de potassio testadas, foram: 00; 110; 220; 440; 660; e 880 mg/Kg de solo. O potassio foi adicionado na forma de cloreto de potassio. As mudas utilizadas no experimento foram obtidas a partir de sementes ilegitimas colhidas em areas de plantio de clone oriental RRIM 600 e cultivadas em sacos de polietileno, com capacidade para aproximadamente 4,0 dm3 de volume de substrato. Os tratamentos foram distribuidos em blocos ao acaso, com quatro repeticoes e 10 plantas por parcela. A adubacao basica foi realizada de acordo com a sugestao de BARROS & ALVES, 1985. As plantas foram coletadas aos 150 dias apos o plantio e determinado o peso da materia seca da raiz, caule, folha e total. Os dados foram submetidos a analise de variancia e as medias comparadas pelo teste Tukey, ao nivel de 5% de probabilidade. Pelos resultados obtidos (Quadro I), verifica-se que nao houve respostas acentuadas das doses nas diferentes partes das plantas, com excecao da materia seca do sistema radicular no tratamento que nao recebem potassio. O maior acumulo de materia seca se concentrou no caule, que neste caso nao diferiu da testemunha (doze zero de K). A maior producao de materia seca total, ocorreu no nivel de 660 mg/Kg. Este tratamento apresentou sintomas visiveis da deficiencia de Mg. A deficiencia de Mg induzida por excesso de K tem sido constatada ou pelo menos sugerida em solos acidos onde a cultura, por suas exigencias nutricionais, recebe doses pesadas de adubos potassicos. A baixa ou praticamente nenhuma resposta aos diferentes niveis de K, provavelmente se deve ao curto tempo de ensaio e/ou ao desequilibrio quimico, principalmente no que se refere a relacao K:Mg.

Ano de publicação: 1996

Tipo de publicação: Parte de livro

Observação

Para ler algumas publicações da Embrapa (apenas as que estão em formato ePub), é necessário ter, no celular ou computador, um desses softwares gratuitos. Sistemas Android: Google Play Livros; IOS: iBooks; Windows e Linux: software Calibre.

 


Acesse outras publicações

Acesse a Base de Dados da Pesquisa Agropecuária (BDPA) para consultar o acervo completo das bibliotecas da Embrapa.
Visite a Livraria Embrapa para adquirir livros e outras publicações vendidas pela Empresa.