Uso de indutores de resistência e fertilizantes foliares no controle de doenças e incremento da produtividade do maracujazeiro-azedo

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

No Brasil, as doenças e pragas constituem-se nos principais fatores que ameaçam a expansão e a produtividade dos cultivos de maracujá-azedo, provocando prejuízos expressivos e preceituando os produtores a usarem defensivos agrícolas de forma indiscriminada. O uso indutores de resistência e fertilizantes foliares é uma alternativa para diminuir o uso de defensivos agrícolas para controle das doenças e aumento da produtividade do pomar. Para o desenvolvimento desta solução tecnológica, plantas de maracujá foram submetidas, por um ano, a pulverizações quinzenais com água (testemunha), Cuprozeb® (fungicida-padrão) (300 g p.c./100 L), acibenzolar-S-metil - ASM (40 g p.c./100 L), Agro-mos® (250 mL p.c./100 L), fosfito de potássio (500 mL p.c./100 L), fosetyl-Al (250 g p.c./100 L), gesso agrícola (2 kg/100 L) e CPAC-GE (produto à base de minerais em teste) (1,8 kg/100 L), totalizando os oito tratamentos. Foram analisados os efeitos destes produtos na produtividade, qualidade de frutos e controle de doenças. Verificou-se que o tratamento com fosfito de potássio triplicou a produtividade, aumentou a massa média dos frutos e diminuiu a severidade da bacteriose, virose e verrugose do maracujazeiro em relação à testemunha. O tratamento com o gesso agrícola duplicou a produtividade e também aumentou a massa média dos frutos e diminuiu a severidade da bacteriose, virose e verrugose do maracujazeiro.

Prática agropecuária: Prática para manejo de doenças vegetais Ano de Lançamento: 2011

Bioma: Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica, Caatinga

Unidade Responsável: Embrapa Cerrados

Unidades Participantes: Embrapa Cerrados

Onde Encontrar:
Embrapa Cerrados
Rodovia BR-020, Km 18
Caixa Postal: 08223
CEP: 73310-970 - Planaltina - DF
Fone: (61) 3388-9898