Nitrospirillum amazonense: espécie de bactéria diazotrófica selecionada para aplicação em cana-de-açúcar (estirpe CBAMc)

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

imagem

Foto: PORPINO, Gustavo

A bactéria diazotrófica Nitrospirillum amazonense atua no crescimento e desenvolvimento da cana-de-açúcar (Saccharum officinarum), culminando no aumento de produtividade nas lavouras. Desenvolvido especialmente para uso na cana, o inoculante microbiológico contendo essa bactéria, denominado Aprinza, foi desenvolvido em parceria com a Basf e já está disponível no mercado como parte integrante do pacote tecnológico Muneo BioKit.

O Nitrospirillum amazonense é uma espécie de bactéria fixadora de nitrogênio e promotora de crescimento que foi primeiramente isolada de plantas da Amazônia brasileira, mas que também é encontrada em plantas de cana-de-açúcar e de cereais colhidas em diferentes regiões do País. A estirpe BR11145 da bactéria foi isolada da cana e testada pela Embrapa Agrobiologia na forma de inoculante microbiano.

A promoção do crescimento da planta tem início poucos dias após a aplicação da bactéria, pela aceleração da brotação de gemas e estimulação do crescimento de raízes. Uma raiz de cana-de-açúcar inoculada com a estirpe BR11145 apresenta uma arquitetura radicular com maior número de raízes secundárias, especialmente de raízes finas, que são as de maior atividade na absorção de água e nutrientes. Em decorrência, as plantas inoculadas apresentam maior perfilhamento e há aumento na área foliar, o que é visível no campo.

Uma vez que o cultivo seja realizado em solos com adequada adubação e limitado estresse hídrico, as plantas continuarão a crescer de forma mais vigorosa, acumulando mais massa verde e promovendo aumento na produtividade. Dados de eficiência agronômica comprovaram incrementos médios de até 18% na cana-de-açúcar no primeiro ano.

Esta solução tecnológica foi desenvolvida pela Embrapa em parceria com outras instituições.

Galeria de imagens