Recuperação de áreas degradadas por extração de piçarra na Caatinga

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

imagem

Foto: RESENDE, Alexander Silva de

A Caatinga brasileira é um bioma ameaçado de extinção. Sua vegetação nativa é explorada como madeira e fonte energética em propriedades rurais e indústrias, gerando erosão do solo e desertificação. Há erosão, também, ligada à extração de piçarra, um material mineral muito usado em construção civil, em bases e acessos para produção de petróleo em terra e em terraplanagem em geral. Foram desenvolvidas estratégias tecnológicas para recuperação dessas áreas, com base na seleção de árvores matrizes, para obter sementes de qualidade e produzir mudas de diferentes espécies arbóreas, predominantemente nativas e com alto potencial de revegetação desses locais. As mudas são geradas de sementes inoculadas com fungos micorrízicos e rizóbios, que maximizam a fixação biológica de nitrogênio e favorecem o crescimento das plantas. O plantio pode ser feito junto com a aplicação de solo superficial, para aumentar a riqueza das espécies a partir de um banco de sementes, acelerando a recuperação da área. Foi criada também uma metodologia para avaliar a capacidade de recuperação das jazidas de piçarra, cujo uso é recomendado sempre antes da extração desse material na Caatinga.

Prática agropecuária: Prática agropecuária Ano de Lançamento: 2010

Onde Encontrar:
Embrapa Agrobiologia
Rodovia BR 465, km 7
Seropédica - RJ - Brasil - CEP: 23891-000
Fone: (21) 3441-1500 - Fax: (21) 2682-1230

Galeria de imagens