Os vermífugos ainda são ferramentas importantes e devem ser muito bem utilizados para que se mantenham viáveis por mais tempo. A principal via de aplicação de vermífugos em caprinos e ovinos é a via oral ou bucal (dentro da boca). Para administrar o vermífugo na boca do animal são utilizadas seringas comuns ou pistolas dosificadoras. 

 

 

 

 

Para se maximizar o uso dos vermífugos devem-se ter alguns cuidados: 

  • Restrição alimentar: antes do tratamento devem-se deixar os animais em jejum por 12 h, pois os vermífugos se aderem firmemente nas fibras do capim, levando a passagem rápida da droga e menor absorção, o que reduz a eficácia contra os parasitos.
  • É importante administrar a dose recomendada pelo fabricante (ver na bula) devendo-se para isso pesar os animais. Se não houver uma balança, use a fita abdominal. Fique atento para as diferenças entre caprinos e ovinos. As doses de um mesmo medicamento podem ser diferentes ou não são recomendadas para ambos. 
  • Os vermífugos são vendidos em frascos de diferentes tamanhos. Os frascos maiores precisam ser manejados para não contaminar. Separe em outro recipiente o volume necessário para vermifugar seus animais (conforme o peso e quantidade de animais). Isso evitará que a pistola ou seringas que foram na boca dos animais sejam colocadas diretamente no frasco do vermífugo para recarregar.
  • O posicionamento da cabeça pode influenciar na absorção dos vermífugos, devendo ser observada a posição correta:
Grupo químico/Princípio ativo Posicionamento da cabeça
Benzimidazóis reta
Pirimidinas reta
Levamisole erguida
Lactonas macrocíclicas erguida

 

  • Tenha cuidado ao administrar medicamentos na boca do animal, pois qualquer descuido poderá levá-lo à morte.
  • Ao usar a pistola dosificadora, verifique se está funcionando bem, para evitar a aplicação de quantidades erradas. Veja aqui como manejar adequadamente a pistola dosificadora. 
  • No final da vermifugação, não retornar a sobra do vermífugo para o frasco. A sobra deve ser desprezada.